28 setembro 2016

Jout Jout : Eleições e aplicativo Me Representa



Resultado de imagem para eleição Me representa







Clique para ir :


Sensibilidade é fraqueza ?





Ser sensível ≠ ser fraco

Stephanie Gomes


O que é ser sensível?

Pessoas sensíveis geralmente apresentam algumas emoções e reações como:

  • se emocionar e chorar facilmente
  • perceber o que o outro está sentindo sem ele precisar dizer nada
  • sentir intensamente uma emoção diante de algo que outras pessoas não parecem dar tanta importância
  • absorver as energias alheias, sejam elas boas ou ruins
  • se sentir fortemente afetado por aquilo que vê, ouve ou assiste
  • se sentir profundamente afetado pelo humor das pessoas à sua volta
  • perceber facilmente coisas que pessoas mais distraídas não conseguem notar
  • sentir e ser afetado pela energia do ambiente em que está
  • ter reações sentimentais intensas em situações incômodas ou indesejadas (nem sempre demonstradas)
  • sentir desconfortos quase insuportáveis em certas situações

Você se considera uma pessoa muito sensível? Se identifica com alguns dos “sintomas” acima? Acha que a sensibilidade muitas vezes é um problema e gostaria de não ser assim? Então vamos falar sobre esse assunto.

Desde que li o livro O lado sombrio dos buscadores da luz eu aprendi a sempre procurar enxergar tudo de forma dual, ou seja, vendo tanto o lado bom como o lado ruim das coisas. E isso me lembrou que por muito tempo eu acreditei que ser uma pessoa muito sensível era totalmente ruim, e que o ideal era eu ser mais fria, menos “chorona”, mais “dura”. 

Muitas vezes ouvi dizer que pra gente “se dar bem na vida” tem que aprender a controlar a sensibilidade e procurar agir mais com a razão do que com a emoção.

Até tentei ser assim algumas vezes, mas isso não era eu, então não consegui sustentar por muito tempo. Comecei então a procurar o lado positivo de ser altamente sensível. E encontrei.

Eu detesto quando tenho vontade de falar algo que está entalado na minha garganta e as lágrimas saem mais rápido que a minha voz. Mas eu talvez não conseguiria dar voz a tudo o que escrevo e falo aqui no blog se não tivesse esse grau elevado de sensibilidade.

Sei que não é legal quando queremos fingir que estamos bem e o nosso corpo nos entrega, mas a sensibilidade que te causa isso é também o motivo de você ser capaz de ajudar um amigo a passar por um momento difícil.

Sei que muitas vezes é incômodo sentir uma saudade tão forte que chega a doer, mas você trocaria essa sua capacidade de amar e viver tão intensamente por um coração gelado que não se envolve com nada?

Para nós, é pelo menos vinte vezes mais difícil conviver com pessoas grosseiras, mal humoradas e negativas, mas nossa sensibilidade é o que nos permite perceber que não queremos ser assim, porque isso não é bom. Nosso lado sensível sofre, mas é a força da nossa sensibilidade [que] nos impede de nos transformarmos em pessoas frias e egoístas, apesar de quase sempre sermos incentivados a isso.

Pare e pense: quantas coisas boas a sua sensibilidade já te levou a fazer? Como você pode continuar usando essa sua capacidade de sentir para fazer o bem, tanto para os outros como para si?

É bem provável que responder a essas perguntas não vá te impedir de viver os desprazeres da sensibilidade, mas você vai perceber que o lado positivo de ser sensível é muito maior do que podia imaginar. E que pode usar essa característica para coisas incríveis e muito positivas.

Use sua sensibilidade para defender aquilo que você acredita. Use-a para olhar para as suas emoções e compreendê-las. Desenvolva a habilidade de criar coisas boas com sentimento. Ajude quando sentir que deve ajudar. Preste atenção em seu coração quando ele falar mais alto que a razão. Olhe para os seus erros e aprenda com eles. Transforme aquilo que te incomoda em força para mudar.

Sensibilidade não é fraqueza. Ser sensível é ter nas mãos um superpoder!

Tenho certeza de que não teria escrito quase 300 textos com reflexões sobre autoconhecimento e desenvolvimento pessoal nos últimos três anos se eu não fosse a pessoa extremamente sensível que sou. E tenho certeza que muitas das coisas boas que você já fez também estão relacionadas à sua capacidade de sentir intensamente.

Se você também é uma pessoa sensível, nunca se esqueça:

1) Sensibilidade NÃO é fraqueza. Muito pelo contrário: é uma força. Toda essa intensidade que existe dentro de você é um terreno fértil para desenvolver coisas lindas como a criatividade, a empatia, a compaixão, a observação, a reflexão e a capacidade de gerar mudanças positivas.

2) Assim como qualquer outra característica que uma pessoa pode ter, a sensibilidade tem seus lados bons e ruins. Enxergue o lado positivo de ser sensível e use isso de alguma forma que seja boa para você. Não ignore o lado negativo, porém não o exalte tanto a ponto de se esquecer que você tem um superpoder nas mãos.



Postado em Desassossegada em 20/09/2016









WI - FI !



instabrige-nomes-engracados-redes-wifi




Esse mapa fornece a senha de redes Wi-Fi dos principais aeroportos do mundo

Como bem lembra o Shortlist, aeroportos podem ser bastante entediantes, “especialmente quando seu voo está atrasado ou você não tem dinheiro para comprar um livro superfaturado”.

É por essas e outras que invenções como a do blogueiro e engenheiro da computação Anil Polat, do site foXnoMad, são tao bem-vindas. Anil criou um mapa onde compartilha a senha de redes Wi-Fi dos principais aeroportos do mundo

A lista é atualizada constantemente e conta com a colaboração de viajantes. Muitos aeroportos ainda precisam ser adicionados – do Brasil, por exemplo, só consta o aeroporto de Guarulhos. Por isso, se você viajar e descobrir alguma senha de WiFi, entre em contato com Anil e compartilhe.

Outra dica válida, se você tiver acesso ao 3G, é dar uma olhada no Foursquare – não é raro encontrar senhas de Wi-Fi nas dicas que os usuários deixam para os aeroportos, como observa o TNW.



27 setembro 2016

TVE Entrevista Especial - Dilma Rousseff : Imperdível para quem defende a Democracia !

















NA PRIMEIRA ENTREVISTA desde seu afastamento, a ex-presidente Dilma Rousseff citou a declaração em que Michel Temer diz que o impeachment foi motivado por Dilma não aceitar o plano econômico do PMDB, e não por supostas irregularidades praticadas por ela.


A entrevista foi conduzida pelo jornalista Bob Fernandes para a TVE Bahia e será transmitida nesta terça-feira, às 20h40, na TVE e no portal do canal

O comentário da ex-presidente refere-se a um discurso dado por Temer na sede da Sociedade Americana/Conselho das Américas (AS/COA), em Nova York, na quarta-feira passada, dia 21, quando disse que ele e seu partido começaram a articular o afastamento de Rousseff em consequência direta da não aceitação, pela ex-presidente, do programa neoliberal do PMDB chamado “Ponte para o Futuro”.

A fala inesperada de Temer foi noticiada por vários meios de comunicação da mídia independente, mas foi completamente ignorada por toda a mídia tradicional, com exceção da revista Exame, Carta Capital e Jornal do Brasil.

Veja o vídeo aqui:










Postado em The Intercept Brasil em 27/09/2016








26 setembro 2016

Conheça os jovens que denunciam o golpe e lutam contra o retrocesso




Eles somam 51 milhões de brasileiros¹, tem opiniões próprias, a rebeldia consequente de contestar padrões e a sede por mudanças. Nesta quinta-feira (22), data que é celebrado o dia da Juventude, o Portal Vermelho conversou com jovens, de diversos seguimentos, que lutam por um Brasil mais justo e humano. Filhos da geração que foram às ruas contra a Ditadura Militar, eles relatam como enxergam a ruptura do regime democrático no Brasil e como enfrentar o período de retrocessos. 


Laís Gouveia


Confira os depoimentos abaixo: 




Renan Alencar - Presidente da União da Juventude Socialista (UJS)


“A UJS celebra seus 32 anos na mesma data que é comemorado o dia da juventude. A entidade foi protagonista na luta pelo fim da ditadura militar, o período neoliberal, ajudou a derrubar o presidente corrupto Fernando Collor de Mello, contribuiu para a vitória de Lula, Dilma e hoje luta em defesa da democracia, por consequência, para que não sejam retirados os nossos direitos. Somos Contra a PEC 241 que tenta limitar os gastos em saúde e educação ao longo dos 20 anos e rechaçamos a privatização de estatais estratégicas, assim como a Reforma da Previdência e suas alterações na CLT, que irá prejudicar a vida do trabalhador. Por isso, vamos todos às ruas nesta quinta-feira (22) somando as centrais sindicais contra a retirada de direitos”.


Maria das Neves - Diretora de Jovens da União Brasileira de Mulheres (UBM)

"Há uma nova geração de feministas no Brasil, florescemos com a primavera feminista, combatendo o PL 5069, e Eduardo Cunha, nos revelamos nas redes e nas ruas contra o patriarcado, a cultura do estupro e o golpe machista e misógino de Michel Temer. Nós, mulheres, temos liderado nas ruas a resistência contra o golpe e o conservadorismo. ‘Nem recatadas e nem do lar, a mulherada tá na rua pra lutar’. É o grande desafio da nossa geração é a retomada democracia, só nela avançaremos na conquista de mais diretos para as mulheres, como a legalização e descriminalização do aborto, igualdade salarial, debate de gênero nas escolas, creches e o fim da violência doméstica e de gênero. Não seremos silenciamos pelo fundamentalismo religioso ou as fardas, cacetetes e gás de pimenta. Lutaremos! Machismo mata, feminismo liberta!".


Paulo Henrique 


Coordenador de Juventude do Movimento sem Terra (MST) 

“O golpe que foi dado pela burguesia está atingindo diretamente a vida da juventude no campo e na cidade, além da retirada de diretos na educação, saúde, moradia e reforma agrária. Os jovens brasileiros sempre tiveram um importante papel nas lutas sociais por mudanças, não vamos nos calar diante essa ameaça neoliberal conservadora. Nós, da Juventude sem Terra, dos vários assentamentos e acampamentos que o MST está organizando, apontamos como principais desafios políticos: Fortalecer a unidade da juventude campo e cidade. Vamos nos somar as mobilizações da classe trabalhadora no próximo período, seja nas paralisações ou nas greves e fazer a luta pela educação pública e do campo.
Não vamos admitir uma educação conservadora em nossas escolas. Realizaremos agitações e propagandas denunciando os inimigos do povo. Organizaremos nossos jovens em cada assentamento e acampamento nesse país”. 


Dhyego Lymma - Diretor da Juventude da União Nacional LGBT- UNALGBT

“A juventude LGBT teve muitos avanços nesses últimos 15 anos, e hoje, com o golpe confirmado, o futuro de nossos jovens está ameaçado pelo governo ilegítimo, que a cada dia retira mais direitos. E por isso, nos jovens LGBT's, precisamos ocupar as ruas por nenhum direito a menos, fora temer e diretas já, para que possamos garantir a democracia do nosso país”.


Josué Rocha - Coordenador do Movimento dos Trabalhadores sem Teto (MTST)



“Vivemos um momento de retrocessos anunciados. O governo golpista de Michel Temer prepara um pacote que ataca diretamente a juventude com cortes na educação e reforma no ensino médio. Sem falar no aumento do desemprego que atinge principalmente os mais jovens e o avanço da repressão policial que se expressa principalmente nas periferias. A resposta que devemos dar, passa por um combate a esse governo ilegítimo e seus ataques. Num momento em que os espaços políticos tradicionais são questionados em todo o país, a juventude tem apontado o caminho. A política deve sair dos gabinetes e da conciliação e tomar as ruas e as ocupações como os secundaristas fizeram em diversos estados.


   

Anne Carol - Diretora da União da Negros pela Igualdade (Unegro)

A juventude unida é forte, somos o futuro dessa nação, quem tem o poder de mudança somos nós. Vivemos um período conjuntural extremamente difícil, pois querem nos calar. Mas temos força para lutar e vencer. Celebrar a juventude é importante, porque nela reside a importância transformadora da sociedade, somos a revolução.


Daniel Souza - Presidente do Conselho Nacional de Juventude (Conjuve)


"O golpe de estado é parte de um projeto mais amplo de manutenção de privilégios da “casa grande” e a redução de direitos das maiorias empobrecidas em nosso país, como os direitos da juventude. Um desses direitos colocados em questão é a participação social. Uma das marcas nesse último ciclo político guiado por uma frente popular, que tinha no Partido dos Trabalhadores uma referência, é a centralidade da participação. Ou melhor: não há governo sem participação social forte, com espaços de consulta, formulação e monitoramento de políticas e programas. Algo bem diferente do governo de Michel Temer, que esvazia - na sua compreensão de estado e governo - o sentido do Conselho Nacional de Juventude. Nessa lógica, não é relevante é necessário a presença da sociedade civil na construção de políticas públicas, em todo conflito e dissenso da pluralidade de vozes que marca esse espaço. O atual governo prefere a fala única, o consenso forçado, a “pacificação” do país e a embolorada “ordem e progresso”. Uma afronta ao direito à participação garantido no Estatuto da Juventude, marco legal aprovado e sancionado em 2013. No entanto, como horizonte e virada do jogo entre a juventude, é necessário ir além do #ForaTemer. É preciso denunciar o golpe, pressionar para que Michel Temer saia e ensaiar projetos políticos amplos, plurais e imaginados desde a radicalização democrática e o enfrentamento das desigualdades. É o ato de sair das reações e respostas pontuais para a disputa de projetos políticos radicalizados, propositivos e à esquerda, que logo evidenciam o legado e as ambiguidades dos últimos anos e, também, escancaram os retrocessos e violações de direitos, da "ponte para o futuro”, que tocam diretamente a vida da juventude".


- Segundo o senso do IBGE


Postado em Vermelho em 22/09/2016



Quem é a juventude brasileira ?


A juventude brasileira tem uma trajetória de lutas e conquistas que fazem do dia 22 de setembro uma data a ser comemorada com muita garra e ternura, em verso e prosa. O portal Vermelho presta homenagem ao Dia Nacional da Juventude lembrando algumas importantes vitórias dos jovens brasileiros. 


  



Praticar a bondade beneficia e modifica o nosso cérebro


Resultado de imagem para praticar bondade


Valéria Amado

Nenhum ato de bondade, por menor que seja, será um desperdício de tempo. Nesses gestos cheios de afeto e reconhecimento reside a autêntica sabedoria que beneficia o nosso cérebro e nos conecta com os outros de forma digna e honesta.

Pode parecer curioso, mas Charles Darwin já falava em seus estudos sobre a importância da bondade nos seres humanos. Segundo ele, este seria o nosso instinto mais forte e valioso e que permitiria não só a sobrevivência da humanidade como espécie, mas de todos os seres vivos. No entanto, não praticamos a bondade tantas vezes quanto deveríamos.

Não desista, semeie a bondade em cada um dos seus atos. Talvez os outros não percebam, mas a sua mente estará sempre em sintonia com o seu coração.

A bondade tem um espaço muito específico no cérebro: ela compartilha os mesmos mecanismos neurais que a empatia. Enquanto uma identifica as necessidades, a outra traduz esse sentimento em um ato espontâneo e profundo para promover o bem, oferecer ajuda e bem-estar.

Este mecanismo único no nosso cérebro tem um propósito muito específico: nos fazer entender que somos muito mais fortes ligados uns aos outros do que sozinhos. Um aspecto interessante que hoje queremos aprofundar com você.

Nós somos programados para “praticar a bondade”

Jerome Kagan, um professor de psicologia de Harvard, defende a ideia de que o nosso cérebro está programado para praticar a bondade. Seria uma inclinação biológica, como disse Charles Darwin, onde o amor, a compaixão e o cuidado têm um propósito muito específico: permitir a sobrevivência da espécie.

O nosso cérebro vem “de fábrica” com este programa instalado, somos bondosos naturalmente. Mas temos outras tendências biológicas que também são importantes e têm, infelizmente, um peso maior em nosso comportamento: a raiva, o ciúme, e a violência.

Daniel Goleman nos lembra que uma das emoções mais intensas para o nosso cérebro é a compaixão. Todo o sistema límbico reverbera várias conexões quando a praticamos. São liberados hormônios como a oxitocina, e de repente somos inundados por emoções positivas como a empatia, a reciprocidade, ou o desejo expresso de promover o bem, o que nos enobrece ainda mais como espécie. A bondade é algo maravilhoso que vale a pena praticar.

A bondade para esses especialistas em emoções humanas é um instinto herdado que ensinou aos nossos antepassados que em um ambiente hostil não sobrevive o mais forte, mas aquele que tem uma grande rede de apoio.

Então, que as emoções se contagiem e que nossos neurônios-espelho nos permitam identificar o medo da outra pessoa, a fim de antecipar um risco ou entender que ajudar é uma forma de investir em nós mesmos, para que no futuro também sejamos ajudados em momentos de necessidade.

Treinar a compaixão para cuidar da nossa saúde mental

David Keltner, professor da Universidade de Berkeley, EUA, e diretor do “Centro de Investigação da Bondade” nos explica que os valores que sustentam as nossas sociedades modernas destruíram completamente a nossa tendência natural para a compaixão ou bondade.

O dinheiro é em si um elemento que nos individualiza, segrega, e que nos obriga a competir com as outras pessoas. Perdemos a união do grupo e o desejo de garantir o bem dos nossos semelhantes, porque nos transformamos em opositores uns dos outros.

Tanto é verdade que, como explica o próprio Professor Keltner em livros como “Born to be good”, as pessoas com mais riqueza costumam ser menos empáticas.

A técnica da meditação compassiva

No entanto, é interessante saber que a compaixão e a bondade podem ser treinadas. Uma vez que estamos conscientes de que estamos muito longe da nossa essência e navegamos à deriva do egoísmo, do materialismo ou da falta de autenticidade nos nossos relacionamentos pessoais, talvez seja necessário refletir sobre a necessidade de uma mudança.

De acordo com um estudo publicado na revista “Psychological Science”, os adultos podem ser treinados através da meditação compassiva para reativar as áreas do nosso cérebro que estão adormecidas ou simplesmente sem utilização.

A meditação compassiva é uma técnica budista baseada em visualizações. Trata-se simplesmente de imaginar situações pessoais que lembram um ente querido passando por um momento difícil da vida.

Devemos reviver o sofrimento para que dessa forma ativemos estas estruturas emocionais, tais como a ínsula, associada com a necessidade de oferecer conforto e apoio.

A visualização começa pouco a pouco. No início pensamos em pessoas próximas, depois nos amigos, colegas de trabalho, vizinhos, simples conhecidos, e até chegar aos desconhecidos.

A ideia básica é criar empatia com as necessidades dos outros, com a dor, o medo, e experimentar a proximidade de quem sofre, seja ele quem for.

Este tipo de exercício baseado na meditação, no controle adequado da respiração e em um contato mais profundo com as nossas emoções gera, segundo os neurologistas, uma plasticidade cerebral interessante. Permite o alívio do estresse, proporciona bem-estar e uma riqueza interior capaz de mudar o mundo.

A bondade é o único investimento que nunca falha.






Resultado de imagem para cora coralina  a bondade também se aprende


Resultado de imagem para praticar bondade


Resultado de imagem para praticar bondade



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...