25 outubro 2012

O ovo passou de vilão a mocinho!






Amigos, talvez ainda existam muito de vocês que fazem a opção de não consumir ovos brancos , caipira ou de granja, porque acreditam que eles façam mal para o organismo.

Mas fiquem tranquilos, este carma que acompanha os ovos está sendo desmistificado aos poucos, pois a ciência, à medida que avança nos estudos, relata que o OVO É BENÉFICO PARA A SAÚDE.

Ainda não acredita? Então acompanhe-me e depois tire suas próprias conclusões.

Características do Ovo

Após o leite materno o ovo é considerado o alimento mais completo.

Fácil preparo, digestão e absorção.

Supre carências de vários nutrientes incluindo vitamina B12.

Indicado para:

Controle ou perda de peso: reduz a ingestão de gorduras, carnes e outros alimentos altamente calóricos.


Alimento de baixo custo: é a fonte de nutrientes e de proteínas mais acessível que existe.

A casca do ovo é rica em cálcio.

Pó da casca de ovos enriquecidos administrados na alimentação de idosos com osteoporose resultou em melhora da densidade mineral óssea.

Curiosidade: A cor da casca indica apenas a cor da galinha, ou seja, ovos brancos são originários de galinhas brancas e os vermelhos de galinhas vermelhas.




Clara (porção gelatinosa do ovo): fonte de proteína, rica em albumina, indicada para pessoas que necessitam de reposição eficiente de proteínas (praticantes de exercícios, p. ex.) e como complemento de dietas de emagrecimento ou deficientes de fontes protéicas.

Gema (parte amarela e central do ovo): rica em nutrientes como vitaminas e sais minerais. Responsável pelo mito do colesterol, contudo, estudos revelam que o consumo de ovos não aumenta o colesterol, fato este observado em grupo de pessoas que consumia 4 ovos por semana.

A gema é fonte de ferro, colina, ácido fólico, lecitina, biotina (depressão), antioxidantes, luteína, vitaminas B, E, entre outros.



Propriedades do ovo

São largamente utilizadas na preparação de alimentos. 



Aglutinante: fornece textura suave e uniforme (p. ex. patês)


Anticristalizante: a clara evita a cristalização de açúcares nos alimentos (p.ex. coberturas, suspiros, etc.)

Aromatizante: confere aroma especial e é essencial para o preparo de massas e de confeitos.

Coagulante: fundamental em alimentos que precisem ser “ligados” (p. ex. bolos, almôndegas, crepes. 

Corante: luteína e zeaxantina conferem propriedades corantes ao ovo, muito apreciado na culinária.


Emulsificante: a lecitina confere ao ovo um equilíbrio entre o óleo e a água, indispensável no preparo de molhos, maioneses e confeitos para bolos.


Espumante: mediante a emulsão de água e ar, qualidade esta apresentada em maior quantidade na clara, mas, podendo ser utilizado o ovo inteiro para fazer espuma.


Nutrientes do ovo

Num ovo grande contém:

Nutrientes

6 g
5 g
28 mg
317 mg
1 mg
0,55 mg
+ de 13
Proteínas (3 g na clara e 3 g na gema)
Gorduras
Cálcio
Vitamina A
Ferro
Zinco
Vitaminas (D, E e K e as de complexo B: B1 – tiamina, B2 – riboflavina, B3 – niacina, B5 – ácido pantotênicoB6 – piridoxina, B9 – ácido fólico e B12 – cianocobalamina)


Calorias

66
75
84
Ovo pequeno (45 a 50 g)
Ovo grande (55 a 60 g)
Ovo extra grande (60 a 66 g)


Curiosidade: O ovo contém tudo o que a vida necessita, menos vitamina C. 

Não existem diferenças nutricionais significativas entre os ovos caipira e de granja.

Combatendo e prevenindo doenças


Alergias: o ovo é rico em zinco auxiliando no combate a algumas alergias.


Alzheimer: possui alta concentração defosfatidilcolina, serina e vitamina B12 que auxiliam na recuperação da memória, melhora o quociente de inteligência em crianças (Pesquisa da FAO – 1996). É essencial na nutrição de idosos.

Artrites: atua como antiinflamatório e possui pequena quantidade de ômega-3.

Crescimento e desenvolvimento: a PQQ (pirrolo,quinonina quinona) é encontrada no leite materno e no ovo (clara e gema). Portadores de Alzheimer, Parkinson e demência senil diminuem a produção de PQQ.

Degeneração macular senil ou cegueira da idade: a ingestão diária de 1,3 gema de ovos evita o surgimento da doença.

Doenças cardiovasculares: eleva o HDL - colesterol (bom) por possuir elevada quantidade de lecitina, impedindo que o colesterol se deposite nas artérias; no intestino, participa da formação da bile, mobilizando triglicerídeos e diminuindo a formação de colesterol.

Alimentação de atletas: a inclusão de ovos na dieta ajuda a suprir a necessidade de proteínas.

Infecções infantis: relacionadas à bactérias, fungos e vírus são minimizadas com a inclusão na dieta diária de ovos, fortificando o sistema imunológico a partir dos 12 meses de idade.

Gestação e amamentação: o ovo fornece vitaminas do complexo B, ácido fólico, essencial para o desenvolvimento do tubo neural do feto.

Osteoporose: o carbonato de cálcio oriundo da casca de ovo é bem absorvido pelo organismo, promovendo maior densidade osseomineral.

Parkinson: fornece cisteína (176 mg por unidade), um poderoso antioxidante que auxilia na prevenção e no tratamento da doença de Parkinson.



E então, já está convencido de que o ovo não faz mal? O bate-papo com a nutricionista Fátima Nunes e o educador físico Bruno Paulo Andrade irão te convencer, tenho certeza.



Afinal, o ovo é bom para a saúde?

O ovo é um alimento que possui proteínas de alto valor biológico, ou seja, contém todos os aminoácidos essenciais em quantidades e proporções ideais para atender às necessidades orgânicas; portanto, podemos dizer que ele é um excelente alimento por fornecer estruturas que o nosso organismo não é capaz de sintetizar, devendo ser absorvido através dos alimentos.

O ovo também é uma excelente fonte de triptofano, o aminoácido precursor da serotonina, a substância associada à sensação de bem-estar. 



Do total de gorduras contidas em um ovo, a maioria é de monoinsaturadas a gordura do bem, protetora do coração. Os ovos naturalmente são excelente fonte de vitaminas e particularmente das vitaminas A, D, E, K, B1(tiamina), B2 (riboflavina), B12 e ácido fólico. Por serem lipossolúveis, as vitaminas A, D, E, K são depositadas na gema.

A gema do ovo é também rica fonte de fósforo (P) e ferro (Fe) disponíveis e de carotenóides, luteína e zeaxantina, ambos envolvidos no funcionamento adequado da região da mácula ocular e na redução do risco de degeneração macular, principalmente em idosos. A colina é outro nutriente naturalmente encontrado nos ovos e que tem sido identificado como essencial para gestantes, à memória e no desenvolvimento cerebral de recém-nascidos. 


Fala-se do alto teor de colesterol do ovo. Procede?

De fato, o ovo tem muito colesterol. Uma unidade contém 213 miligramas da substância, quase o total da ingestão diária recomendada pela Associação Americana do Coração, que é de 300 miligramas. 

O erro, no entanto, é imaginar que todo esse colesterol, depois de ingerido, tem como destino certo o entupimento das artérias.

Na verdade nem todo o colesterol ingerido causa entupimento nas artérias, pois também é destinado à formação de hormônios importantes ao corpo, faz parte das membranas de todas as células, além de possuir outras funções de extrema importância. 

Você recomendaria o consumo de ovos por parte das crianças?


Devido a todos os benefícios nutritivos do ovo, ele pode e deve ser consumido pelas crianças, desde que seja bem cozido. A introdução do ovo na alimentação das crianças pode ser realizada a partir dos seis meses de idade, iniciando com a gema cozida (cerca de ¼) e aumentando a quantidade gradativamente. No caso da clara de ovos sua introdução deve ser realizada apenas após o primeiro ano de idade (responsável por algumas reações alérgicas).



Praticantes de musculação e fisiculturismo costumam comer vários ovos após o treino, visando a reposição de proteínas e a reconstrução da massa muscular. Isso porque a albumina, proteína de alta qualidade presente à clara do ovo, teria essa propriedade reparadora.

O educador físico Bruno Paulo Andrade confirma que, na academia onde trabalha, vários alunos adotam essa prática."O treino provoca micro-lesões e o ovo ajuda a reconstruir a massa muscular. Ele também ajuda a aumentar o músculo, o que chamamos de hipertrofia. A gente diz que o ovo é ouro para a hipertrofia", comenta Bruno. O educador físico considera o ovo um verdadeiro injustiçado, isso devido aos muitos mitos e controvérsias em torno dele. Mas mesmo reconhecendo suas muitas qualidades, Bruno diz não recomendá-lo aos seus alunos. "Não faço recomendação alimentar; oriento a atividade física. Sempre indico procurar uma nutricionista.

Fontes:
PUPPIN, Sérgio. Ovo. O mito do Colesterol. Rio de Janeiro; REVISTA SAÚDE. Ovo. Pode comer todo dia. E o melhor está na gema.  REVISTA BOA FORMA. Dieta do Ovo.  Blog mais qualidade de vida e  Site Tribuna do Norte

Postado no blog Vivendo a Vida Bem Feliz em 07/05/2012

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"