27 março 2013

Sem tantos `porquês´, sobra espaço para o silêncio que apazigua...




Rosana Braga 

Longe de mim julgar equivocado o instinto questionador da maioria das pessoas, talvez da raça humana. Querer encontrar respostas certamente nos impulsiona a muitos bons lugares. Entretanto, há que se ponderar sobre os excessos.

O problema não está em desejar compreender, mas em acreditar que a compreensão é sempre necessária ou possível, ou ainda que só se pode aquietar a alma depois de obter as tais respostas.

Buda deixou um ensinamento na frase seguinte que a mim parece responder senão quase todas, ao menos muitas das questões mais angustiantes que costumamos criar: "A mente não conhece respostas. O coração não conhece perguntas".

Pois... que só questiona quem não sabe. Quem sabe, apenas abre caminho para que a vida aconteça. Sem se fazer refém de perguntas que nada preenchem. Sem resistir ao que é, ao que está. Sem duvidar da perfeita engrenagem que gira ao perfeito ritmo do Universo.

Quem sabe tem fé e só quem tem fé sabe! Não uma fé mágica, mas uma fé sábia! Porém, infelizmente, a maioria de nós, especialmente nos momentos mais delicados, mais dolorosos e mais intensamente complexos, não confia!

Desavisadamente, insiste em acreditar que o coração é bobo, ingênuo, emotivo demais. Insiste em apostar que as emoções, tão instáveis e dinâmicas, tão humanamente confusas, são ditadas pelo coração. Não são!

Tudo o que é fugaz, vulnerável e volátil tem a ver com o que está voltado para fora, suspenso, solto do que é próprio da pessoa - sempre genuinamente singular, dona da única sabedoria capaz de apaziguar de verdade qualquer tormenta interior.

É fato que, a despeito de resistir a esta ideia, tanto mais você saberá quanto menos perguntar. Tanto mais perceberá o sentido quanto mais relaxar, quanto mais aceitar, quanto mais silenciar.

Não há paz no tumulto de sua mente. Não há compreensão no afã da busca. Não há amor na confusão do desejo. Pensar, buscar e desejar fazem parte do exercício de viver, sim. Fazem parte do aprendizado e do amadurecimento. Mas a evolução está justamente em parar de pensar tanto, de buscar tanto e de desejar tanto.

Quando o seu momento for de tristeza e dor, luto e escuridão, seja em qualquer grau, apenas tente respirar fundo, fechar os olhos e aquietar-se. Tudo o que for realmente necessário... estará aí. E se você ainda não conseguiu se dar conta disso, é porque ainda não está suficientemente em silêncio para ouvir e ver!

Postado no site Somos Todos Um



Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"