22 julho 2013

Eu gostaria de um dia não ter medo por pior que pareçam as situações


Eu gostaria de um dia não ter medo por pior que pareçam as situações



Eliana Kruschewsky


Ainda existe um grande número de pessoas que não sabe, mas estamos aqui neste planeta buscando evolução. Parto do princípio de que não nascemos aqui por acaso e que nossa vida não se resume a viver, sobreviver, conservar a espécie, comer, ter sexo, dinheiro, poder, sucesso, enfim. Se fosse só por isto, a vida não teria sentido, pois tudo isto muda o tempo todo e vai e vem sem explicação. Não é verdade?

Como sou pesquisadora dos comportamentos humanos, metafisicamente falando, fui buscar respostas ao sentido de estarmos aqui e descobri um mundo muito significativo que não nos apresentaram na escola, na família, na sociedade, nem mesmo nas religiões e crenças. Pelo menos, não em uma linguagem acessível à nossa mente.

Por lógica, fui descobrindo que podemos ter várias funções na vida: posso ser professora, posso ser terapeuta, posso ser palestrante, posso ser escritora, porém, só posso ter uma missão. Logo, você pode ter função de engenheiro e ter uma missão específica aqui neste planeta como sentido de sua existência. 

Fui descobrindo que existem vários "Eus" dentro de nós e para cada pessoa se apresenta um "Eu" deste à altura do "Eu"do outro. Muitas vezes, os "Eus" que nos estimulam podem não ser bons. Daí, sugere-se vigiar-nos para não estagnarmos. Fui descobrindo que somos muito mais importantes na vida um do outro do que imaginamos ser, até porque temos uma missão única na vida de cada um que se relaciona conosco.

Fui descobrindo um sentido para estar viva aqui neste planeta e analisando, profundamente, descobri que embora aqui seja muito bonito, muito prazeroso, muito gostoso de viver, sabores mil, céu lindo, lua maravilhosa, é um planeta de testes, provas e, principalmente, uma grande universidade que uns chamam de prisão e outros chamam de reformatório, mas prefiro chamar de Universidade Planeta Terra.

E depois descobri que viemos aqui para nos aperfeiçoar, mas que para isto precisamos estar diante de situações que parecem nos achatar, justamente para melhorar alguns de nossos "Eus", pois a sensação de perda ou de achatamento é uma sensação do Ego inflamado e indignado. Tais situações surgem durante uma convivência familiar, social, profissional. Todo tipo de convivência é uma oportunidade de aprendermos algo. Acontece que o ser humano só aprende sentindo dor, já percebeu isto? É como pagar multa: dói no bolso, logo, não ultrapassarei mais a velocidade permitida... A pergunta é: então, por que não respeitou a velocidade anunciada? Seres humanos...

Ainda neste exemplo, podemos observar a convivência entre familiares, principalmente pai, mãe e filhos. Já percebeu como tem pai que mesmo amando seu filho, o "esmaga na parede"? E este filho que tem um "Eu" inflamado, rebela-se e reage na mesma sintonia e intensidade? Estamos diante aí de uma oportunidade de nos melhorarmos. Como? Vigiando um de nossos "Eus". 

Temos estes Eus, mas não somos estes Eus. Então, descobri a liberdade de ser Eu em essência e para isto, só tem um caminho: O CAMINHO DA VERDADE E DO AMOR.

Ser verdadeiro consigo mesmo é admitir nossas qualidades, nossos defeitos, reconhecer nossos Eus chatinhos e doutriná-los, reconhecer nossos "Eus" interessantes e edificá-los. Parece difícil? É difícil. Para isto, estamos aqui para aprender, pois tudo parece muito difícil até que aprendamos a lidar com as situações e daí se torna fácil.

Assim, conquistei minha PAZ. Saí da vibração contagiante e contaminante em que vivia e onde muitos vivem e pulei fora do trem que descarrilhou, atraída pela paisagem que eu via passando pela janela e esta paisagem chama-se PAZ.

Resolvi fazer as pazes comigo mesma. Confraternizando meus "Eus" e edificando minha essência natural, verdadeira e pacificadora.

Para isto, precisamos de coragem, combustível importante para que não se abortem atitudes antes de alcançar o final.

Ainda não cheguei ao final, pois estou aqui matriculada e feliz em estar neste planeta e consciente de que não tem outro caminho a não ser o caminho da Verdade e do Amor incondicional para nos mantermos imunes às contaminações mentais e emocionais que nos propõem.

Ter fé no Divino é ter fé em sua missão em seu propósito aqui, mesmo sem saber qual seja sua missão (a esta altura do campeonato você já deve desconfiar qual seja). O Universo nos propõe a oportunidade de vibrarmos o amor de acreditar no bem, mesmo vivendo rodeados pelo mal. E daí? Acreditar no bem, no que dará certo, no que tem de bom para nós aqui, acreditar na paz, na felicidade, acordar leve e sorrir para o dia e agradecer por estar vivo é tudo de bom. 

Não quero lhe deixar cheio(a) de perguntas, sei que o assunto é profundo e merece mais detalhamentos, mas a essência do que escrevi, sei que entenderá, pois é Divino assim como sou, assim como todos somos, basta nos descontaminarmos e vibrarmos com a nossa essência verdadeira chamada AMOR. (que não é este amor cantado nas músicas sertanejas). 

É o amor sadio, livre, real, que nada teme e quanto menos medo tivermos, maior será nossa convicção e direcionamento para vivermos equilibradamente e, assim, atrairmos situações de mesma sincronicidade.



Postado no site Somos Todos Um



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...