01 novembro 2013

Por que perder tudo pode ser uma das melhores coisas da vida?




Fernanda Luongo


A princípio essa frase pode assustar um bocado e também soar um pouco absurda, mas realmente existem fatos bem positivos e aproveitáveis nela.

Você já deve ter lido em algum lugar histórias de pessoas que atingiram o sucesso após terem perdido tudo (algo de extrema significância), ou passado por situações de vida muito difíceis.

Quando as pessoas se veem sem saída "literalmente" no fundo do poço; quando sentem que já tentaram de tudo, mas a vida pareceu lhes fechar todas as portas, quando sentem que já deram tudo de que dispunham, algo diferente acontece. Algo muito profundo, perturbador e sem dúvida revelador: elas ficam vazias!

Às vezes, andamos pela vida tão abarrotados (de pensamentos, tarefas, compromissos etc.) que nem nos damos conta do que é essencial para nós.

Muitas vezes nos afastamos de nossa mais pura essência quando nos voltamos para alguma fonte externa, que quando nos damos conta estamos tão longe de nós mesmos que nem sabemos mais como voltar atrás.

E em muitos casos, nós próprios criamos as mais variadas artimanhas (com as forças de nosso inconsciente) para nos forçamos a olhar para a nossa realidade de forma mais genuína.

Todo mundo que um dia já perdeu alguma coisa se perguntou: Por quê? Todo mundo algum dia certamente achou a vida injusta por lhe privar desta ou daquela situação/ pessoa/ ou necessidade básica. 

Realmente quando comparamos a nossa grama à grama do vizinho, a dele sempre será a mais verde; porém, se pudermos mudar esse olhar e direcioná-lo com uma maior intimidade, poderemos descobrir tesouros valiosos dentro de nós.

A primeira coisa que podemos aprender com uma situação dessas é a seguinte: nós não podemos controlar tudo que acontece em nossas vidas!

Ninguém quer aceitar que está falido, que perdeu um grande amor ou o prestígio, que perdeu a saúde etc. 

Porém, a negação da realidade não é algo que auxilie muito no processo. Ninguém quer ter que lidar com situações difíceis e dolorosas, e, lembrando-se da primeira coisa que aprendemos numa situação dessas: não podemos controlar tudo que nos acontece! 

Porém, podemos, sim, ter domínio sobre nossa resposta àquilo que nos acontece.

São muitas as lições que podem ser tiradas em tempos como esse: humildade, reconhecimento das reais necessidades, compaixão, perseverança, autodomínio, força, fé, coragem, autoestima etc.

E por que é que este momento é um momento que carrega um enorme potencial em si? O que existe no nada? Absolutamente tudo em forma de energia potencial/ latente. Como o Universo foi criado? A princípio nada existia e, então, a partir de uma explosão, a energia de estado latente se tornou matéria.

Quando "perdemos tudo" nos assemelhamos ao Universo antes de sua existência, ou seja, puro potencial.

Não nos apegamos mais às vergonhas, às máscaras, ao orgulho, e outros comportamentos baseados em nossas inseguranças e medos puramente egoicos.

Quando "perdemos tudo" ficamos mais transparentes, mais próximos de nossa verdadeira identidade, enxergamos melhor quem somos e onde estamos no mundo.

Quando atingimos o ponto zero, coisas magníficas podem nascer. E quando nascem e surgem coisas a partir do Nada, elas certamente têm uma força maior do que quando elas surgem de um estado de "copo cheio transbordante". 

A energia gerada no estado "fundo do poço" é gigantesca e por isso, se usada corretamente, para fins construtivos e não destrutivos, ela é sim capaz de materializar os mais nobres feitos!

É só parar e contemplar o Universo para se conscientizar. Olhe as estrelas essa noite e tenha a certeza de que nem tudo está acabado para você, um novo universo pode surgir em sua vida a qualquer momento, acredite!



Fernanda Luongo é escritora, autora de três obras literárias já publicadas no país, terapeuta holística, registrada no Conselho Nacional de Terapia Holística CRT: 46.801 e originadora do Método Akhenaton®.




Postado no site Somos Todos Um







Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...