08 outubro 2014

Não voltar atrás



Elisabeth Cavalcante

Um dos maiores obstáculos para a conquista da paz interior é a insistência da mente em nos manter presos ao passado. Se algum dia, em algum momento, algo deu errado e vivenciamos a experiência da perda, da decepção ou da frustração de algo muito desejado, o ego fará de tudo para nos manter escravizados a esta experiência.

Quanto mais inconscientes formos deste processo, maior será a dificuldade para nos libertarmos e o tempo necessário para isto pode levar meses, anos e até mesmo toda uma vida.

Felizes os que têm a oportunidade de receber da existência a possibilidade de adquirir a consciência acerca de como esta crença negativa se desenvolve. Embora apenas isto não seja suficiente, constitui um passo essencial.

Se quisermos, de fato, deixar o passado para trás, teremos de enfrentar o maior dos obstáculos: o medo. Ele fará de tudo para nos manter paralisados em nossa zona de conforto, com o argumento de que está ali para nos proteger de novos sofrimentos.

Mas, como o crescimento interior só pode acontecer na presença do desafio, em algum momento, seremos pressionados pela vida a abandonar nossa pseudo-segurança e a redescobrir a fonte de coragem e destemor com que chegamos ao mundo.

Antes que a mente e o ego se formassem, nada nos parecia ameaçador, vivíamos num constante estado de alegria, relaxamento e confiança. Recuperar esta condição do Ser, sem se deixar dominar pelo pânico de experimentar o novo, o desconhecido, constitui a maior vitória que podemos alcançar em nossa jornada.

Somente os que não se contentam com uma existência medíocre e possuem uma vocação inabalável para a felicidade, se disporão a enfrentar o que for preciso para se libertar das limitações impostas pela mente e o ego.

Se houver uma vontade firme, aos poucos o desejo de superação se tornará maior do que a resistência, até que, finalmente, o impulso da coragem se fará presente e conseguiremos dar o tão desejado salto. 

"Vá fechando os capítulos que você já leu; não há necessidade de ficar voltando e voltando de novo. E nunca julgue nada do passado pela nova perspectiva que está chegando, porque o novo é o novo, incomparavelmente novo. O antigo foi certo dentro de seu próprio contexto, o novo é certo dentro de seu próprio contexto. E os dois são incomparáveis". - Osho.


Postado no site Somos Todos Um


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...