28 fevereiro 2015

Para Sempre Alice


Juliane Moore : Oscar 2015 de Melhor Atriz por seu desempenho
em Para Sempre Alice




A Dra. Alice Howland (Julianne Moore) é uma renomada professora de linguística. Aos poucos, ela começa a esquecer certas palavras e se perder pelas ruas de Manhattan. Ela é diagnosticada com Alzheimer.

A doença coloca em prova a a força de sua família. Enquanto a relação de Alice com o marido, John (Alec Baldwin), fragiliza, ela e a filha Lydia (Kristen Stewart) se aproximam.



Qual é a sua palavra para 2015 ?




Stephanie Gomes

A ideia é pensar no rumo que você deseja que sua vida tome e escolher em uma palavra que defina isso. 

Por exemplo, se 2014 não foi um ano legal e você sabe que precisa mudar algumas coisas em você e na sua vida para que os momentos ruins não se repitam, sua palavra pode ser mudança.

Se você tem um projeto e quer colocá-lo em prática em 2015, sua palavra pode ser foco ou construir. Já se tudo o que você quer é um ano tranquilo, sereno e calmo, pode escolher a palavra paz. 

Então é só não se esquecer dela quando agir e tomar decisões. E se em algum momento você se sentir perdido e sem rumo, lembrar-se da sua palavra e por que a escolheu poderá ajudar.

Para escolher a sua palavra, pense nas resoluções que você já fez para este ano. O que elas indicam? Que você quer um ano agitado ou tranquilo? Que você precisa fazer coisas novas ou apenas continuar o que já está fazendo? O que você precisa trabalhar mais em você mesmo? 

Faça uma reflexão sobre a relação entre aquilo que você quer e o que precisa fazer para que se realize. É nesta conclusão que você encontrará a sua palavra.

Depois que escolher, é hora de especificar com mais detalhes o que a sua palavra significa para você e como ela deve refletir em suas ações. 

É legal anotar tudo isso em um papel para que você possa reler outras vezes e conferir se está sendo fiel ao que decidiu fazer e se está no caminho certo. 

As anotações não precisam seguir um padrão, apenas vá escrevendo o que vier em sua mente sobre aquela palavra: o que ela significa, o que você pode fazer para que funcione, quais esforços serão necessários, o que precisa aprender… anote tudo o que vier à sua cabeça.

Escolhi algumas palavras para exemplificar o exercício. Você pode usá-las caso se identifique, mas não deixe de fazer uma reflexão sua, se questionar e escrever com suas palavras o que a sua escolhida significa para você.




Se a sua palavra é REALIZAÇÃO

É hora de tornar real aquilo que começou a ser planejado em 2014.

É hora de começar aquilo que prometeu começar há tempos, mas ainda não deu o primeiro passo.

Coloque suas vontades e objetivos em um papel e vá riscando-os conforme for realizando.

Escolha um sonho e abrace-o, não desista até realizá-lo.

Você precisa se dedicar muito e ter foco.




Se a sua palavra é MUDANÇA

Você precisa de força, coragem, determinação e disposição.

Não deixe para amanhã, mude seus hábitos e atitudes a partir de hoje.

A mudança tem que acontecer de dentro para fora.

Não vou mais fazer ...

Mantenha-se atento às suas atitudes, assuma seus erros e aprenda a corrigi-los.




Se a sua palavra é CONSTRUIR

Coloque a mão na massa e faça acontecer.

Pare de deixar para amanhã o que pode fazer hoje.

Deposite a maior parte da sua energia naquilo que importa para você.

Você pode e é capaz de construir aquilo que deseja.

Pode ser que demore, mas o importante é estar trabalhando pelo seu objetivo e não desistir.




Se a sua palavra é RECOMEÇO

Chegou a hora de dar um rumo novo à sua vida.

Dedique algum tempo para olhar para dentro de si e descobrir o que realmente quer e precisa.

Busque o novo e esteja aberto a mudanças.

Arrisque mais, sem medo do incerto.

Abandone de uma vez por todas o passado e se concentre no presente.




Se a sua palavra é SIMPLIFICAR

Aprenda a desapegar.

Descubra quais áreas da sua vida precisam ser simplificadas.

Crie coragem e faça uma grande limpeza em tudo (coisas, pessoas, atividades, hábitos).

Perceba quando você está complicando uma situação que poderia ser resolvida de forma simples.

Dê valor ao que você tem, pare de acumular coisas e compre somente o necessário.




Se a sua palavra é CORAGEM

O medo não vai deixar de existir, ele só não pode te fazer parar.

Você é muito mais forte do que imagina.

As melhores coisas da vida não se encontram na sua zona de conforto.

Tome uma primeira atitude corajosa para descobrir do que você é capaz.




Se a sua palavra é APRENDER

Organize sua vida e adapte seus horários para ter tempo de se dedicar.

Mantenha o foco, a determinação e a dedicação.

Às vezes você pode cansar e precisar de descanso, mas não vai desistir.

Busque inspiração.

Pratique sempre.




Se a sua palavra é PAZ

Descubra o que te deixa em paz e faça mais disso.

Aceite as emoções negativas quando elas surgirem, sem brigar com você mesmo.

Desfrute de momentos em silêncio.

Seja gentil com os outros e com você.

Respire fundo quando precisar se acalmar.




Se a sua palavra é ACEITAÇÃO

Encontre contentamento e alegria no dia a dia.

Viva no presente, inclusive enquanto constrói o futuro.

Aceite-se e ame-se como você é, mesmo que precise de mudanças.

Tudo está como deveria estar e você tem tudo o que precisa para ser feliz.

Aprecie o que você tem antes de ansiar por mais.




Se a sua palavra é FOCO

Seja organizado.

Saiba exatamente o que quer e lembre-se disso sempre.

Tome cuidado para não deixar que a opinião e palpites alheios te façam desistir.




Se a sua palavra é EXPERIÊNCIAS

Busque novidades, faça atividades que nunca fez, vá lugares que nunca foi…

Esteja disposto a se movimentar e fazer coisas diferentes.

Esteja aberto até mesmo àquilo que não te agrada a princípio.

Não julgue sem conhecer.

Dê mais atenção à curiosidade e à vontade do que ao medo do desconhecido.

Qual a sua palavra para 2015?



Postado no blog Desassossegada em 05/01/2015



27 fevereiro 2015

Treino de corrida e caminhada





Treino de corrida e caminhada:
prepare-se para percorrer 5 km em 8 semanas



Nesta primeira semana, prepare-se para percorrer 5 km em 8 semanas neste treino de corrida e caminhada. Avalie sua condição inicial para começar seu treino de corrida.



Treino de corrida e caminhada: 
melhore sua resistência para chegar aos 5 km 



Nesta segunda semana, aumente o tempo de treino para acostumar o corpo com maiores distâncias.



Treino de corrida e caminhada: 
aumente a intensidade para chegar aos 5 km



Nesta terceira semana, diminua o tempo e aumente a velocidade do treino e a capacidade respiratória.



Treino de corrida e caminhada: 
aumente a capacidade cardiovascular


Nesta quarta semana, aumente a intensidade do treino, melhore seu condicionamento e melhore a capacidade cardiovascular.



Treino de corrida e caminhada: 
varie a velocidade e estimule o coração 


Nesta quinta semana, você precisará de apenas 15 minutos por dia para se exercitar e melhore a capacidade cardiorrespiratória.



Treino de corrida e caminhada:
percorra maiores distâncias e melhore a resistência física


Nesta sexta semana, você terá um treino mais longo
e melhore a resistência física.



Treino de corrida e caminhada:
treine com intensidade e chegue aos 5 km 


Nesta sétima semana, você terá um treino parecido com os 5 km do final
intensificando ainda mais o treino.



Treino de corrida e caminhada: 
percorra 5 km e alcance seu objetivo





Postado no site Minha Vida em Janeiro e Fevereiro de 2015




Cabelos : cortes e cores do Outono/Inverno 2015



Cores de Cabelo Outono-Inverno 2014/2015








Cortes de Cabelo para o Inverno (5)














ritz_005




cores de cabelo 2015 as tonalidades que v o estar na moda









26 fevereiro 2015

O Brasil não vai aceitar ser destruído pela mídia




Miguel do Rosário, do Cafezinho

Incrível.

O juiz Sergio Moro já concedeu três delações premiadas a Alberto Youssef.

Sempre que o noticiário da Lava Jato começa a esfriar, ele é chamado novamente, ou o próprio se convoca para depor, para fazer novas revelações bombásticas (e sem provas, claro) contra o PT.

A relação entre Sergio Moro e Youssef é promíscua.

Ambos são do Paraná.

Aliás, todo o circo da Lava Jato gira em volta de figurões do Paraná.

Youssef estava envolvido com o prefeito tucano Jairo Gianoto, de Maringá, condenado por um pesadíssimo esquema de corrupção.

Na época também foi preso o tributarista do prefeito. Adivinha quem era o estagiário do tributarista?

Ele mesmo, Sergio Moro.

Nessa época, o senador Alvaro Dias voava para lá e para cá no jatinho do doleiro.

Aí Sergio Moro vira juiz e vai cuidar do caso Banestado.

Quem é o doleiro envolvido? O mesmo Youssef.

Moro “perdoa” Youssef através da concessão da delação premiada.

Youssef dedura bagrinhos e protege os tubarões.

Volta a roubar.

É preso de novo. Dedura de novo.

Volta a roubar.

É preso pela terceira vez.

Delação premiada novamente.

Me perdoem se eu erro alguma coisa. Não sou biógrafo, nem quero ser, de Alberto Youssef.

Youssef se tornou uma espécie de coringa da oposição.


Sempre que querem um dedo-duro seletivo, alguém que entenda o jogo político da mídia, chamam ele.

E agora a imprensa nos informa que ele quer fazer “novo depoimento”, e a Veja já sabe até o que é.

Claro, tudo é combinado previamente com o advogado de Youssef, um tucaníssimo que desfrutou, por anos, de uma sinecura especial no governo do Paraná.

Enquanto isso, centenas de milhares de empregos são ameaçados porque alguns procuradores e um juiz, almofadinhas criados a leite de cabra, com o salário garantido ao fim do mês, querem “passar a limpo” o Brasil.

O Ministério Público, como instituição, perdeu o bom senso há tempos, desde a Ação Penal 470, uma farsa ridícula que começou por uma peça de acusação inteiramente fictícia.

Não canso de repetir: estão tentando o mesmo golpe. E usando os mesmos cérebros, os filhos mais brilhantes da direita aristocrática.

Sergio Moro foi o juiz que escreveu o voto de Rosa Weber, no qual ela condenou Dirceu com uma frase positivamente fascista: “não tenho provas para condená-lo, mas a literatura assim o permite”.

A frase de Weber me parece, inclusive, nascer de uma consciência desesperada, como se ela quisesse mandar um recado à história: estou encurralada; senão condenar Dirceu, minha cabeça estará em jogo.

Vladimir Aras, outro cérebro brilhante, foi o procurador que ajudou Gurgel a escrever a peça de acusação da AP 470.

É Aras que vai à Itália coordenar a extradição de Pizzolato. Aliás, é impressionante o esforço do MP para trazer o petista de volta da Itália. Usaram toda a sua estrutura.

Se tivessem usado um décimo dessa estrutura para investigar o trensalão, a sonegação da Globo, o Banestado, a privataria, o Brasil estaria bem melhor hoje. (Os destaques em verde negritado são do ContrapontoPIG)

Não, preferiram usar toda a sua estrutura para pegar Pizzolato, condenado por um crime que não cometeu.

A mesma coisa vale para João Paulo Cunha, condenado mesmo diante de provas cabais de sua inocência.

Agora, não nos enganemos.

Não sejamos tolos ou demagógicos.

Às vezes ouço críticas: “Engraçado, ver a esquerda defendendo empreiteiros”.

A esquerda democrática jamais pode defender prisões arbitrárias ou violência judicial, mesmo contra o homem mais rico do mundo.

A Constituição garante direitos iguais para todos.

No Brasil, parece garantir apenas para os amigos da Globo.

Não é amigo da Globo, pode ser o cara mais rico do Brasil: dê adeus a seus direitos e liberdades.

As ditaduras adoram patrocinar esse tipo de demagogia fascista. 

Prendem ricos para manipular os ódios de classe da população pobre e da classe média.

Não prendem todos os ricos, claro.

Apenas alguns cordeiros gordos, cujo sacrifício vem em nome do bem maior.

O Judiciário brasileiro se tornou uma instância política, arbitrária, conservadora, e alegremente submissa aos ditames de uma mídia golpista.

Como esquecer que Ayres Brito, presidente do STF, ainda no cargo, escreveu o prefácio de um livro de Merval Pereira sobre o mensalão?

E que saiu do STF diretamente para os quadros da Globo?

Hoje, além de funcionário da Globo, é colunista do Estadão…

A mídia é cada dia mais e mais golpista.

Veja o que acontece hoje.

Centenas de milhares de empregos estão ameaçados.

Setores estratégicos da economia estão paralisados, demitindo pessoas.

Se o desmonte da indústria de construção civil se consumar, haverá um efeito cascata que afetará toda a economia brasileira.

A mídia fez alguma matéria sobre isso?

Você viu o Fantástico alertando para os exageros e a irresponsabilidade da Operação Lava Jato?

Não.

O que você viu no Fantástico foi apenas a tal da menina veneno da Petrobrás atacando Graça Foster sem provas.

O STF, por sua vez, novamente começa a se acovardar.

Os ministros do Supremo não tem instrumentos políticos ou mesmo psicológicos para resistir à violência midiática.

Afinal, quem pode resistir aos tanques da mídia. Eles chantageiam qualquer um.

Vivemos a era da mídia. O fim dela, mas um fim apocalíptico, que ela tenta adiar desesperadamente através de um golpe branco de Estado.

A mídia sabe que precisa de um golpe, de qualquer jeito, para sobreviver aos desafios que as mudanças tecnológicas lhe impuseram.

Ela precisa de um governo aliado para lhe dar dinheiro.

Se houver um golpe e a direita assumir o poder, o primeiro ato será em favor da grande mídia corporativa.

A partir do momento em que blogs, feitos quase artesanalmente, começam a ameaçar o seu poder; a partir do momento em que milhares de pessoas acreditam muito mais num punhado de blogueiros malucos; que enxergam nesses blogueiros um comprometimento com a verdade e um senso de responsabilidade muito superior ao que vêem nos sisudos e engravatados colunistas de jornal; aí sim entendemos o desespero da mídia.

Entendemos também a sua agressividade contra o blogs, inclusive arrumando qualquer pretexto para processá-los e tentar intimidá-los e asfixiá-los judicial e financeiramente.

Mas a sociedade está reagindo.

Até porque o momento é grave.

Oxalá tenhamos tempo de evitar o pior.

Entretanto, o mais importante é isso, que a sociedade começa a reagir a essa mídia odiosamente fascista que prefere destruir o país a suportar mais alguns anos de governo trabalhista.

O governo, por sua vez, tenta inutilmente passar a imagem de menino obediente e comportado.

A gente critica duramente a Dilma, por várias razões.

Ela é ruim de política, um verdadeiro desastre.

Indecisa, muda, convencional.

Entretanto, diante da ofensiva conservadora, liderada por setores completamente descompromissados com a questão social, e que mobiliza um exército de analfabetos políticos, e uma classe média de espírito violento e sectário, as forças progressistas voltam a se reunir em defesa da presidenta Dilma.

Bem que ela podia ajudar um pouco, contudo.

Nem precisa falar nada, já que ela não gosta de aparecer.

Basta assinar algum decreto em prol da Petrobrás, como o uso das reservas para comprar ações da estatal, o que nos daria uma extraordinária injeção de ânimo.

Antes da privatização branca de FHC, a participação da União na Petrobrás era de 82% e caiu para 55%. Com Lei da Partilha de Lula subiu para 64%. Podíamos voltar aos 80% agora.

Enfim, a história brasileira está viva.

A direita quer se vingar do país como um todo, pela humilhante derrota que sofreu em 2014.

Mauricinhos arrogantes e violentos são maus perdedores.

Quer se vingar dos empreiteiros, que fizeram vultuosas doações ao PT, doações que permitiram ao partido ganhar as eleições.

(E ao mesmo tempo são contra uma reforma política que liberte os partidos dessa relação promíscua com o poder econômico. Querem que as doações continuem, mas só para legendas de direita.)

Os empreiteiros doaram porque entendem que o PT tinha um plano de grandes obras de infra-estrutura que os tucanos nunca tiveram.

Os tucanos só queriam saber de vender o que possuíamos, não de construir algo novo.

Na era tucana, a Petrobrás foi sucateada. As descobertas de novas reservas minguaram e o número de trabalhadores caiu. Os recursos investidos em pesquisa e tecnologia eram ridículos.

A indústria naval, naqueles tristes anos, foi destruída.

E agora, que a indústria naval renasceu, com uma força extraordinária, a direita midiática, com ajuda de cúmplices nos estamentos aristocráticos do Estado, querem destruir tudo?

Não vão conseguir.

E se, Deus nos livre, conseguirem, será uma vitória suja.

Uma vitória que os comprometerá para sempre, porque já não existe censura para denunciar suas patranhas.

Se destruírem o Brasil, nós o reconstruiremos, tijolo por tijolo.

Mas seremos doravante bem menos ingênuos. E faremos os culpados pagar caro, muito caro, pelo sofrimento imposto ao povo brasileiro.


Postado no blog Contraponto em 26/02/2015



Ir para a rua em 13 de Março é defender a Soberania e a Democracia brasileira ! Em defesa da Petrobras e do Governo eleito pelo Povo !







25 fevereiro 2015

A eternidade é agora





Nara Rúbia Ribeiro

O passado e o futuro são tempos ausentes. Eles só existem em nossa mente e têm a cor e a forma que os nossos pensamentos lhes emprestam. Aquele que relembra, bem como aquele que, em pensamento, tenta antever o futuro, abre, na mente, a janela que naquele momento melhor lhe favorece. Assim, um mesmo acontecimento pode desencadear, ao ser relembrado ou antevisto, emoções diferentes e até antagônicas.

Escolhemos o que relembrar e aquilo que devemos esquecer. Criamos fantasmas que nos visitam ou se alojam em nós… Forjamos frestas de esperança, ou de medo, num futuro que construímos nos recantos da alma. E, displicentes, nos descuidamos da única e absoluta realidade do tempo: o agora.

Só o agora é real. De resto, tudo é abstração. É criação da mente dos homens a quem é dada a tarefa de criar e recriar, de reinventar a si mesmos. Mas só nos reinventamos hoje. Só vivemos no agora. Só o instante é permanente. Só o agora existiu ontem, é hoje e será no amanhã a nossa possibilidade de ser o aquilo que almejamos.

E constato que a cada dia é mais difícil viver no presente. Ora a depressão nos aponta para aquilo que não fomos, para o que não fizemos, para as metas não alcançadas e nos estaciona no passado, lamentando tudo o que “deveríamos” ter sido. Doutra vez, é a ansiedade que nos faz viajar ao futuro no afã de burlar o tempo e de nos fazer prisioneiros do amanhã, procrastinadores da existência, desperdiçadores do hoje.

E nos esquecemos de que já nos é dado vivenciar o infinito: cada segundo é uma réplica, uma miniatura da eternidade. E o eterno só existe em nós e por nós. E é agora.


Postado no site Caminhos em 19/02/2015







O sentido da oração




Morel Felipe Wilkon

Você sabe qual é o verdadeiro sentido da oração? Um dos erros que mais percebo é que muitas pessoas pensam que não há relação alguma entre Deus e prosperidade. Minha visão de Deus, na infância, também era mais ou menos assim. Uma associação de virtude com pobreza.

A energia no Universo é infinita, e essa mesma energia está em você, em mim, em cada um de nós. Nós, como filhos de Deus, temos o poder de manipular essa energia a nosso favor. Não há nada mais forte e poderoso na Terra do que o espírito imortal.

A natureza obedece cegamente às Leis que a regem. Sempre. Sem escolha. Nós, pelo nosso livre-arbítrio, podemos escolher, crear, nos desenvolvermos em todos os sentidos.

É uma pena que apenas uma pequena parcela da humanidade esteja apta a perceber que tudo no Universo é energia, e que temos poder sobre essa energia. Com Vontade determinada, temos o poder de mudar a nós mesmos e ao ambiente em que vivemos. Talvez a maior preocupação das pessoas em geral seja com os bens materiais, com o dinheiro. Como a maioria das pessoas perdeu a confiança em si mesma, não é coisa muito fácil modificar sua situação econômica.

No entanto, a Vida está cheia de exemplos de pessoas que superaram as próprias dificuldades materiais graças à mudança no padrão de pensamentos.

Para tudo na vida as Leis de Deus são o guia seguro. Observe uma por uma das pessoas que superaram situações de pobreza material e verá que elas transformaram pensamentos vitoriosos em ação. Muita ação. Estamos neste planeta para agir. Orar e se queixar da sorte não resolve nada. A oração e os pensamentos construtivos devem ser acompanhados de ação, disciplina, persistência e determinação.

Isso tanto vale para a reforma íntima quanto para as questões materiais. O Universo é energia abundante, a Natureza é pródiga e abundante. Tudo o que precisamos já existe, inclusive os bens materiais que almejamos. A parte mais difícil já foi feita, que é a invenção das coisas que nos facilitam a vida. Todo o conforto, todos os recursos tecnológicos que conhecemos estão à nossa disposição há pouco tempo.

Você não precisa ser um gênio e criar aparelhos para a sua comodidade. Eles já existem. A Natureza entrou com os recursos, o homem participou com a invenção. A você compete apenas adquiri-los a custo do seu trabalho.

Recebe quem está aberto para receber. Isso vale para a paz, para o amor, para os ensinamentos, para os recursos materiais. O planeta nos oferta tudo de que precisamos em nosso estágio evolutivo. Com as mãos fechadas você não receberá nada. É preciso estar receptivo, é preciso estar com as mãos em concha, disposto a receber.

Esse é o sentido da oração, da comunhão com Deus. Deus sabe do que precisamos. Quando oramos, não estamos informando Ele sobre nossos planos. Ele sabe disso tudo. Quando oramos estamos nos predispondo a receber, estamos entrando num estado de receptividade, de passividade, de aceitação. Quando oramos criamos em nós mesmos as condições necessárias para atrair o que pedimos.

Se prosperidade não estivesse nos planos de Deus, a Natureza não seria tão abundante. Não há nada de mal nas conquistas materiais. O mal não está em possuir bens, mas em ser possuído por eles.


Postado no site Espírito Imortal





Ir para a rua, mas para defender a Petrobras dos entreguistas e anti-Brasil!


Brazil-x-BRASIL_01a(2)
Brazil e Petrobrax de Fernando Henrique x Brasil e Petrobras hoje !







Estão tramando, novamente, contra a Democracia e Povo brasileiro !







24 fevereiro 2015

Petróleo que Globo diz estar “no fundo do mar” já enche 700 mil barris/dia


petrobrás

Eduardo Guimarães



Donos de uma fortuna de 21 bilhões de dólares, os três filhos de Roberto Marinho bem que poderiam abrir um jornal. Mesmo não sendo muito lido – e está sendo cada vez menos –, pelo menos os manteria informados. Em vez disso, enterraram sua fortuna em um gigantesco e bilionário partido político ao qual deram o nome pomposo de “Organizações Globo”.

Esse partido midiático, em sua versão impressa e digital, acaba de produzir uma catilinária – que os irmãos bilionários chamam de “editorial” – atacando iniciativa de intelectuais como Fabio Konder Comparato, Marilena Chauí, Cândido Mendes, Celso Amorim, João Pedro Stédile, Leonardo Boff, Luiz Pinguelli Rosa e Maria da Conceição Tavares, entre outros, em defesa da Petrobrás e do sistema de partilha nos campos do pré-sal.

O mais curioso é que o “editorial” em tela confunde a iniciativa dos pensadores com iniciativa “do PT”. O texto lamentável diz que o manifesto dos intelectuais – e não do PT – “ressuscita discurso da década de 50, quando o petróleo era ‘nosso’, mas continuava debaixo da terra”.

Como assim, “debaixo da terra”? Da “década de 50” para cá o petróleo não se tornou nosso?! Continua “debaixo da terra”?! Socorro! Alguém informe os fatos a esses pobres bilionários.

Veja só, leitor: com todo esses bilhões de dólares, e após 61 anos de existência da Petrobrás (fundada em outubro de 1963), a família Marinho ainda não descobriu que o Petróleo não apenas não está mais “debaixo da terra”, mas tampouco está “debaixo do mar”, já que, a partir da “década de 50”, a empresa criada por Getúlio Vargas se projetou no mundo como uma das maiores e mais rentáveis, detentora de tecnologias revolucionárias como a extração de petróleo em águas profundas, o que fez a empresa encontrar uma das maiores reservas de petróleo do planeta, senão a maior, nas águas territoriais brasileiras.

“Apenas” isso.

O “editorial” de O Globo insulta intelectuais de projeção mundial ao tratá-los como estafetas “do PT”, apesar de grande parte deles não ter filiação partidária alguma nem obedecer a decisões do partido. Tudo para negar que o objetivo dos ataques à Petrobrás é nada mais, nada menos do que entregar a corporações estrangeiras o produto do esforço brasileiro para detectar essa riqueza imensurável em nossas águas territoriais.

Mas a cantilena desses partidos políticos travestidos de veículos de comunicação contra o sucesso estrondoso da Petrobrás não começou hoje. Lá em 2008/2009, antes de a produção do pré-sal começar a jorrar nas bacias de Campos e de Santos, os estafetas dos barões midiáticos afiançavam que o petróleo que um dia disseram que ficaria “debaixo da terra” continuaria “debaixo do mar” ou brotaria em quantidade irrisória.


Para governo dos irmãos Marinho, porém, em pouco mais de seis anos (desde 2008) o pré-sal já produz um terço de toda a produção própria diária da Petrobrás, estimada em cerca de 2,3 milhões de barris/dia. E, em dezembro do ano passado, a empresa bateu novo recorde de extração de petróleo de águas profundas, alcançando a marca de nada mais, nada menos do que SETECENTOS MIL BARRIS POR DIA.

O primeiro recorde foi alcançado no dia 30 de junho do ano passado, quando este Blog cobriu, na sede da empresa, no Rio de Janeiro, a cerimônia comemorativa à marca de extração de 500 mil barris dia do pré-sal. Para que se tenha uma ideia do que isso significa, a Petrobrás só conseguiu atingir essa marca pela primeira vez nos anos 1990, trinta anos após a fundação da empresa. Com as tecnologias desenvolvidas, nos campos do pré-sal essa marca foi atingida em cerca de seis anos.

Claro que os irmãos Marinho preferem escrever um “editorial” que confunde problemas de corrupção na Petrobrás – que podem ocorrer em qualquer empresa, inclusive privada – com a empresa em si e seu imenso coletivo de colaboradores honestos que trabalham duro para que o Brasil usufrua da riqueza que descobriu em seu litoral.

O “editorial” em questão repisa pontos de investigações que só estão ocorrendo porque, à diferença do governo do partido político que os irmãos Marinho comandam (o do PSDB, 1995-2002), os governos do PT não colocaram paus-mandados na Procuradoria Geral da República e no comando da Polícia Federal. Até por isso, a Petrobrás cresceu 7 vezes de 2003 para cá.

Por conta de abusos como esse “editorial” que propõe a entrega pura e simples das reservas brasileiras de petróleo às corporações estrangeiras em um regime de exploração lesivo ao interesse nacional (o famigerado regime de concessão), nesta terça-feira, 24 de fevereiro, às 18 horas, na sede da Associação Brasileira de Imprensa, no centro do Rio de Janeiro, CUT e FUP realizam ato em defesa da Petrobras que contará com a participação do ex-presidente Lula.

Postado no Blog da Cidadania em 24/02/2015


Jornalista Bob Fernandes


Em Manifesto, intelectuais denunciam golpe


:


Documento assinado por nomes de peso da intelectualidade brasileira, como Fabio Konder Comparato, Marilena Chauí, Cândido Mendes, Celso Amorim, João Pedro Stédile, Leonardo Boff, Luiz Pinguelli Rosa e Maria da Conceição Tavares, entre vários outros, denuncia a tentativa de destruição da Petrobras e de seus fornecedores; "Com efeito, há uma campanha para esvaziar a Petrobras, a única das grandes empresas de petróleo a ter reservas e produção continuamente aumentadas", diz o texto; "Debilitada a Petrobras, âncora do nosso desenvolvimento científico, tecnológico e industrial, serão dizimadas empresas aqui instaladas, responsáveis por mais de 500.000 empregos qualificados, remetendo-nos uma vez mais a uma condição subalterna e colonial"; documento propõe pacto pela democracia.



Um manifesto em defesa da democracia e da Petrobras foi divulgado nesta sexta-feira por alguns dos principais intelectuais brasileiros. O texto denuncia a tentativa de destruição da Petrobras, de seus fornecedores e de tentativa de mudança do modelo que rege a exploração de petróleo no Brasil. Leia, abaixo, texto do jornalista Luis Nassif e, também, o manifesto dos intelectuais:



Por Luís Nassif, do jornal GGN

É hora de encarar os fatos: há uma conspiração em marcha para desestabilizar o governo, ainda que à custa da desorganização da economia. 

Não dá mais para tapar o sol com a peneira. É uma conjunção muito grande de fatores:

A cobertura enviesada da mídia em cima de vazamentos seletivos da Operação Lava Jato. Conseguiram transformar até a Swissleaks em operação Lava Jato.

O comportamento do Procurador Geral da República Rodrigo Janot, tratando o crime de vazamento de informações como se fosse uma ocorrência normal.

As declarações sincronizadas da mídia, Joaquim Barbosa e Sérgio Moro, procurando manietar o já inerte Ministro da Justiça.

A visita de procuradores ao Departamento de Justiça dos Estados Unidos, a pretexto de colaborar com as investigações contra a Petrobras.

Finalmente, a decisão do Ministério Público Federal, de agora há pouco, de dar o golpe final contra as empreiteiras da Lava Jato, inviabilizando-as definitivamente.

Não tem lógica alegar estrito cumprimento da lei para liquidar com as empresas. Nem o mais empedernido burocrata ficaria insensível aos efeitos dessa quebra sobre a economia brasileira, sobre empregos e sobre o crescimento.

Qualquer agente público minimamente responsável trataria de apurar responsabilidades e punir duramente as pessoas físicas responsáveis, evitando afetar as empresas, ainda mais sabendo dos desdobramentos sobre a economia como um todo.

Só intenções políticas obscuras para justificar essa marcha da insensatez.

PS - Alo, Presidente Dilma Rousseff. Esqueça essa preocupação sobre se as pessoas vão ou não duvidar da sua honestidade. Ninguém duvida dela. Eles não estão atrás da sua reputação: estão atrás do seu cargo. Acorde!


Abaixo, manifesto de personalidades contra o jogo político em andamento.


Manifesto: O QUE ESTÁ EM JOGO AGORA


A chamada Operação Lava Jato, a partir da apuração de malfeitos na Petrobras, desencadeou um processo político que coloca em risco conquistas da nossa soberania e a própria democracia.

Com efeito, há uma campanha para esvaziar a Petrobras, a única das grandes empresas de petróleo a ter reservas e produção continuamente aumentadas. 

Além disso, vem a proposta de entregar o pré-sal às empresas estrangeiras, restabelecendo o regime de concessão, alterado pelo atual regime de partilha, que dá à Petrobras o monopólio do conhecimento da exploração e produção de petróleo em águas ultraprofundas. Essa situação tem lhe valido a conquista dos principais prêmios em congressos internacionais.

Está à vista de todos a voracidade com que interesses geopolíticos dominantes buscam o controle do petróleo no mundo, inclusive através de intervenções militares. Entre nós, esses interesses parecem encontrar eco em uma certa mídia a eles subserviente e em parlamentares com eles alinhados. 

Debilitada a Petrobras, âncora do nosso desenvolvimento científico, tecnológico e industrial, serão dizimadas empresas aqui instaladas, responsáveis por mais de 500.000 empregos qualificados, remetendo-nos uma vez mais a uma condição subalterna e colonial.

Por outro lado, esses mesmos setores estimulam o desgaste do Governo legitimamente eleito, com vista a abreviar o seu mandato.

Para tanto, não hesitam em atropelar o Estado de Direito democrático, ao usarem, com estardalhaço, informações parciais e preliminares do Judiciário, da Polícia Federal, do Ministério Público e da própria mídia, na busca de uma comoção nacional que lhes permita alcançar seus objetivos, antinacionais e antidemocráticos.

O Brasil viveu, em 1964, uma experiência da mesma natureza. Custou-nos um longo período de trevas e de arbítrio.

Trata-se agora de evitar sua repetição. Conclamamos as forças vivas da Nação a cerrarem fileiras, em uma ampla aliança nacional, acima de interesses partidários ou ideológicos, em torno da democracia e da Petrobras, o nosso principal símbolo de soberania.


20 de fevereiro de 2015


Alberto Passos Guimarães Filho
Aldo Arantes
Ana Maria Costa
Ana Tereza Pereira
Cândido Mendes
Carlos Medeiros
Carlos Moura
Claudius Ceccon
Celso Amorim
Celso Pinto de Melo
D. Demetrio Valentini
Emir Sader
Ennio Candotti
Fabio Konder Comparato
Franklin Martins
Jether Ramalho
José Noronha
Ivone Gebara
João Pedro Stédile
José Jofilly
José Luiz Fiori
José Paulo Sepúlveda Pertence
Ladislau Dowbor
Leonardo Boff
Ligia Bahia
Lucia Ribeiro
Luiz Alberto Gomez de Souza
Luiz Pinguelli Rosa
Magali do Nascimento Cunha
Marcelo Timotheo da Costa
Marco Antonio Raupp
Maria Clara Bingemer
Maria da Conceição Tavares
Maria Helena Arrochelas
Maria José Sousa dos Santos
Marilena Chauí
Marilene Correa
Otavio Alves Velho
Paulo José
Reinaldo Guimarães
Ricardo Bielschowsky
Roberto Amaral
Samuel Pinheiro Guimarães
Sergio Mascarenhas
Sergio Rezende
Silvio Tendler
Sonia Fleury
Waldir Pires


Postado no site Brasil247 em 20/02/2015



Jornalista Bob Fernandes


Golpe contra a Democracia e 54 milhões de votos



VINTE E CINCO TONS DE CINZA CHUMBO DE CONSPIRAÇÃO E HIPOCRISIA



WASHINGTON LUIZ DE ARAÚJO


No escuro dos porões, partidos da oposição e grande parcela da chamada velha mídia fazem de tudo para a concretização de um golpe. Tudo em nome da conspiração, seja ela da tonalidade que for, desde que tenha tons cinza escuro, cinza chumbo.

Vamos aqui relacionar vinte e cinco ações tomadas por este pessoal que, ao perder no voto, partiu para boatos, hipocrisias, deturpações. Vamos enumerar somente as perpetradas depois das eleições de Dilma em 26 de outubro de 2014. Eleições estas marcadas por baixarias da parte da oposição em associação com a maioria dos representantes da velha mídia. 

1 – Logo após os resultados da apuração, raivoso xingaram os nordestinos nas redes sociais, chamando-os de ignorantes, “culpando-os” pela eleição de Dilma Rousseff. Exacerbando, assim, seus preconceitos. 

2 – Em seguida ás eleições, o ex-presidente Fernando Henrique deu entrevista corroborando com os raivosos das redes sociais, afirmando que o eleitorado do PT é desinformado e insinuando que a ignorância se dá em razão dos mesmos serem pobres. 

3 – Aécio Neves vocifera da tribuna, com reverberação por toda a dita grande imprensa, sobre o resultado das eleições. Perdeu, mas não se conformou, dando o apito inicial para um terceiro turno. 

4 - Para ocupar espaço sempre disponível na chamada velha mídia, o PSDB pediu auditoria nas eleições. O TSE não aceitou o pedido, mas isso gerou polêmica pela tentativa de se colocar água no chope daqueles que comemoravam a vitória de Dilma.

5 – Destaque para turma do “Vai pra Cuba”, que dizia que iria abandonar o país, indo para Miami, em razão do resultado das eleições.

6 – Críticas exacerbadas e alardeadas na grande mídia em razão da construção do Porto de Mariel, financiado pelo BNDES para a construtora Odebrecht. 

7 – Notícias constantes sobre a chamada “alta da inflação”, o que não se configurou em verdade. Tanto que o ano encerrou-se com a inflação dentro da meta. 

8 – Na emblemática data de 15 de novembro, é colocada na rua a Operação Lava Jato, com prisões e vazamentos ilegais de depoimentos de presos que se beneficiaram do instituto da delação premiada. Velha mídia acordou cedo neste dia, avisada da operação com ampla antecedência e fazendo uma cobertura de estardalhaços. 

9 - Delegados da Polícia Federal, componentes da Operação Lava Jato, são flagrados em suas páginas de facebook fazendo campanha para Aécio e demonizando Dilma e Lula.

10 – Em nenhum momento, a velha mídia deu e dá crédito ao Planalto, cuja Polícia Federal é subordinada. Todos os méritos ao juiz Sérgio Moro, ao Ministério Público e a Polícia Federal, como se esta fosse um ente totalmente isolado.

11 – Começa a circular notícias sobre meia dúzia de “gatos pingados” que foi para as ruas pedir impeachment da presidenta Dilma. Não precisa de fatos, nem de número consistente de pessoas mas sim de uma imprensa ávida de notícias contra o governo. 

12 – Com raras exceções na grande imprensa e com maioria nas redes sociais surgem críticas aos desmandos do governador Geraldo Alckmin em relação a seca no Estado de São Paulo. Grande imprensa se omite e quando menciona o fato culpa São Pedro.

13 – Destaque para o que a direita passou a chamar o governo federal de República Bolivariana. 

14 – Representantes da direita postam petição no site da Casa Branca, apelando para que o “Tio Sam” contivesse os planos do governo brasileiro em estabelecer um regime comunista no Brasil. A Casa Branca não deu importância para o fato.

15 – Omissão da chamada grande imprensa o caso de Erenice Guerra, ex-ministra da Casa Civil, acusada com grande alarde por envolvimento num suposto esquema de tráfico de influência e depois absolvida.

16 – Passeatas a favor da intervenção militar

17 – Gilmar Mendes diz que o Judiciário pode se tornar bolivariano. 

18 – Lançado pelo UOl boato de que Lula voltou a ter câncer. Negado pelo Hospital Sírio Libanês.

19 – Prestação de contas de Dilma são esmiuçadas e entregues a Gilmar Mendes para apreciação. Depois de muitas elucubrações, foram aprovadas. Por outro lado, contas do governador reeleito em São Paulo, Geraldo Alckmin, passam incólumes pela grande imprensa, mesmo tenso sido reprovadas pelo TCE – Tribinal de Contas do Estado. 

20 – Vazamentos seletivos dos depoimentos de presos envolvidos na Operação Lava Jato, incriminando somente o PT na história, leva o procurador geral, Rodrigo Janot a afirmar: “queriam inteferir no processo eleitoral”. 

21 – Não divulgação de que laudo da Polícia Federal, ligando o doleiro Youssef a caixa de campanha de Serra e FHC, foi engavetado no governo Fernando Henrique. 

22 – Globo e advogado de Youssef combinam narrativas, sempre a favor do vazamento seletivo, incriminando somente pessoas ligadas ao PT.

23 – Não destaque pela imprensa do chamado Trensalão, rede de corrupção entre empresários e políticos tucanos em São Paulo.

24 – Escandalização do caso Venina Velosa da Fonseca, ex-funcionária da Petrobras que ganhou destaque ao afirmar que já tinha avisado a ex-presidenta da Petrobras, Graça Foster, sobre as denúncias de corrupção na empresa. Mais tarde, sem destaque na velha mídia, foi informado de que Venina estava envolvida com os delatores da delação premiada. 

25 – Advogado de FHC pede parecer ao jurista Ives Gandra da Silva Martins sobre impeachment de Dilma. Jurista faz parecer favorável ao impedimento.



Postado no site Brasil 247 em 23/02/2015




Jornalista Bob Fernandes



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"