09 abril 2016

As coisas como elas são


 Discussão na Câmara sobre o parecer do relator do impeachment de Dilma; processo tem base legal, mas não é melhor solução, diz revista. (Foto: Agência Câmara)



Carlos Motta

As coisas hoje em dia têm de ser claras, objetivas, sem frescuras.

Portanto, vamos a elas:

Coisa 1 

O projeto proposto para o Brasil pelo PMDB, o tal Ponte para o Futuro, é um desastre em todos os sentidos - social, econômico, político... Ele extermina todas as conquistas que os trabalhadores tiveram nos últimos tempos, conquistas duramente obtidas. Se adotado, o Brasil volta ao período jurássico. Engana-se a classe média ao pensar que escaparia da debacle que o tal plano provocaria - ele foi concebido para favorecer apenas e tão somente os plutocratas, os endinheirados, os especuladores e financistas.

Coisa 2

A corrupção vai perdurar, não importa se acabe o governo Dilma, se o PT seja exterminado, ou se ainda mais empresários e políticos sejam presos. A corrupção nasceu com o Brasil, vai morrer com ele, pois o povo adora a corrupção, não vive sem ela, embora diga que ela é um mal. Na verdade, só a corrupção dos outros é ruim, pois prejudica a nossa.


Coisa 3

Um golpe de Estado, sob o disfarce que for, é o pior crime que existe, pois arrebenta com a Constituição, mãe de todas as leis. 

Coisa 4

O Judiciário brasileiro está no nível daquele de uma Serra Leoa, Niger, Eritreia ou Somália - sem querer ofender os juízes desses países. Em resumo, o Judiciário brasileiro é o poder que menos contribui para o desenvolvimento da nação: é caro, lento, ineficiente e, por que não dizer, muito suscetível a desvios de conduta, já que se autofiscaliza.

Coisa 5

O Ministério Público, criado com tantas boas intenções na Carta de 88, se transformou no mais rotundo fracasso da república brasileira. Tornou-se um monstro partidarizado, que defende apenas os interesses da alta burguesia.

Coisa 6

O fascismo sempre existiu entre nós. Apenas estava adormecido. O advento das redes sociais e a impunidade generalizada para certos tipos de crimes - e criminosos - fizeram com que ele aflorasce rápida e violentamente. Mesmo assim os fascistas, as viúvas da ditadura e as vivandeiras dos quartéis são minoria - barulhenta, mas minoria.

Coisa 7

A oposição não tem ideias para governar o país a não ser, como explicitado no incrível documento do PMDB, impor a velha, ultrapassada e desastrosa agenda neoliberal - desta vez ainda mais burra e cruel. De resto, sobram xingamentos, ofensas, mentiras e infâmias contra os integrantes do governo federal e de partidos da esquerda.

Coisa 8

O jornalismo brasileiro acabou. O que existe hoje com esse nome é tão somente a mais descarada propaganda ideológica.

Coisa 9

O empresariado nativo, ao menos a grande maioria dele, ou sofre de problemas mentais ou é profundamente ignorante - ou burro, como quiserem. Isso porque faz campanha contra o governo que mais promoveu o capitalismo na história do Brasil e mais se empenhou em dar à chamada "livre iniciativa" as condições para seus negócios prosperarem. Ou seja, nunca antes esse pessoal lucrou tanto como nos governos do PT, que odeiam tão profundamente.

Coisa 10

Seria cômico, se não fosse trágico, que um Parlamento, integrado por no mínimo 2/3 de picaretas notórios, se arrogue o direito de julgar uma presidenta de passado e presente absolutamente limpos.


Postado no Crônicas do Motta em 09/04/2016


  

Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"