15 abril 2016

Entenda o porquê do golpe de direita e do ódio em forma de coxinha





Davis Sena Filho

Dia 12 da abril. 8h25. Encontro-me dentro do elevador de um prédio comercial, no Centro do Rio. Entra um senhor bem vestido, altura média, grisalho de uns 65 anos. Me cumprimenta. Eu respondo afirmativamente com a cabeça. Ele me diz: "Não quero saber se é golpe ou não é golpe. O Brasil tem de mudar. O que acha?" Respondo: "Não sou favorável ao golpe". Me calo. 

Ele olha para mim, em dúvida. O elevador chega no andar que eu vou ficar. O terceiro. Saio do elevador, e ele em fúria vocifera: "Para mim todo petista tem de tomar tiro... Tiro no cu!" O elevador sobe e ele some de minhas vistas, mas mesmo assim o ser que parecia civilizado explode em cólera retumbante: "Os militares deveriam tomar este País e dar tiro no cu de petistas! Desgraçados!" Me benzo. Ainda é manhã. Faço o sinal da cruz, e vou ao consultório do oftalmologista.

O golpe é uma doença que geralmente acomete as "elites" subdesenvolvidas e colonizadas, mas bilionárias de países igualmente subdesenvolvidos ou em desenvolvimento, a exemplo do Brasil. O golpismo é seu principal sintoma, pois engendrado nos gabinetes de políticos, de juízes, de procuradores, de delegados de PF, mas principalmente, como a doença do golpe atual, o golpismo, seu principal sintoma, iniciou-se na Vara do Moro, do PSDB do Paraná, com a cumplicidade do procurador-geral, Rodrigo Não Devo a Ninguém Janot, bem como na empresa de "educação" do juiz Gilmar Mendes, do PSDB do Mato Grosso.

Contudo, o golpe, em forma parlamentar e congressual, foi escaneado e esquadrinhado, efetivamente, nos gabinetes do Amigo da Onça, o vice-presidente Michel Temer e seu aliado de golpe de estado travestido com o verniz de legalidade, o presidente da Câmara, Eduardo Cunha, os dois do PMDB, que resolveram, o primeiro por cobiça e ambição desmedida, sendo que o segundo retaliou a presidente Dilma Rousseff por vingança, e, mais do que isto, para dar fim ao mandato legítimo de uma mandatária trabalhista.

Por sua vez, não se deve nunca esquecer o fomentador e articulador do golpe, o sujeito que apagou incêndio com gasolina, o golpista-mor que reponde pelo nome de Aécio Neves, senador tucano derrotado por Dilma nas urnas, que não aceitou a derrota e se transformou em um Carlos Lacerda, menos culto e inteligente, mas tão golpista quanto o Corvo, bem como, tal qual ao udenista que depois foi rejeitado e isolado pelos militares, Aécio Neves vai entrar para as páginas negras da História do Brasil, como o boi de piranha, o otário que pagou pau, pois se o PMDB conquistar hipoteticamente o poder, realidade esta que não vai acontecer, Aécio Neves vai ser lembrado como o golpista que bate palmas para malucos dançar.

Os malucos são o Michel Temer e o Eduardo Cunha, que, no poder, evidentemente, preparariam a cama de gato para as eleições de 2018 e, por seu turno, tratariam de enfraquecer as candidaturas tucanas, que estão desmoralizadas, pois frágeis politicamente, além de desgastadas pelo tempo, a exemplo de Geraldo Alckmin e José Serra. Além do mais, a candidatura Aécio Neves morre com o PMDB, porque tal partido vai disputar o mesmo público e propõe praticamente os mesmos programas de governo do PSDB, de conotação neoliberal, o mesmo neoliberalismo que é derrotado como proposta há quatro eleições consecutivas pelo PT, assim como fracassou no mundo, inclusive na Europa e nos Estados Unidos.

Vide a crise da gringada que perdura desde 2008 e mesmo assim tais países desenvolvidos não prenderam os banqueiros e os proprietários das grandes imobiliárias, ladrões e corruptos que roubaram, a se provar com isso que nesses países, diferentemente do Brasil atual, rico, milionário, bilionário e branco ninguém vai preso, bem como na Europa e nos "Esteites" têm impunidade para quem tem dinheiro e poder. Aliás, sempre teve. 

Depois fica uma malta de coxinhas babacas a repetir como papagaios sem asas presos a poleiros e a tagarelar, porque é impossível para esses seres de pouquíssima complexidade cerebral e mental ter discernimento e conhecimento sobre os fatos, as realidades e as verdades que se apresentam.

Entretanto, por que vivemos ou vivenciamos a tentativa de se sacramentar um golpe de direita, que tem por essência o ódio em forma de coxinhas ferozes de classe média e ricos, como aquele ser troglodita do elevador? 

Respondo: Dilma lidera um Governo que tem projeto vitorioso e que vai ficar para sempre na memória e no imaginário do povo brasileiro, que levou o PT a vencer quatro eleições consecutivas. Dezenas de milhões de pessoas foram beneficiadas, porque ascenderam socialmente, e, consequentemente, votam no PT.

A razão principal é esta e não tem muito segredo. E se um grupo político, coligado ou não como é o caso do PT, atende os pobres e melhora a condição de vida dessas camadas sociais desprivilegiadas, invisíveis ao Estado e à iniciativa privada, certamente que parte significativa da população brasileira vai votar nos políticos do Partido dos Trabalhadores, que não é uma sigla política de esquerda, no sentido de radical. Pelo contrário, Lula e Dilma e a maioria de seus colaboradores são moderados, não revolucionários, porque não são radicais.

Na verdade, são sociais democratas, mas de verdade, como era a social democracia europeia até o início dos anos 1980, que depois se degenerou e abraçou os programas de direita. Não é Tony Blair? 

Por sua vez, no Brasil o PSDB só tem a social democracia no nome, pois tão de direita quanto o DEM, a abraçar todos os princípios do capitalismo quando se torna selvagem e predador, bem como dissociado dos interesses do País e das necessidades do povo. Quanto a isto não se resta dúvida.

Contrários aos demotucanos, Lula e Dilma cansaram de afirmar em conversas, em negociações e em discursos que desejam uma sociedade de classe média, ou seja, tal qual a norte-americana, por exemplo, sendo que baseados na social democracia europeia, aquela originária, a que foi extinta e que pregava o estado do bem-estar social.

O núcleo dominante do PT e que ocupa a Presidência da República é social democrata. Contudo, a direita brasileira é tão radical, atrasada e violenta, que, mesmo a ser beneficiada economicamente nesses anos todos de várias formas e maneiras como as enormes desonerações, combate a ferro e fogo pessoas que nunca pensaram em implantar o socialismo no Brasil.

Até mesmo a presidente Dilma após ter amadurecido em idade, em experiência e até mesmo politicamente. Duvida? Então sugiro que observe o plano econômico atual do Governo Dilma, que chegou a ter como ministro da Fazenda o economista e engenheiro Joaquim Levy, que, sobremaneira, jamais poderá ser considerado um homem de pensamento de esquerda e ligado à corrente estruturalista e desenvolvimentista, no que concerne ao pensamento econômico, a exemplo de Celso Furtado, Maria da Conceição Tavares ou Guido Mantega, para dar um exemplo mais recente.

Lula, para quem não sabe, é mais a esquerda do que Dilma, mas mesmo assim realizou governos moderados, pois, inclusive, não fez a reforma agrária como deveria ser feita, pois compromisso histórico do PT. E deveria, porque se tem um grupo no Brasil que merece consideração e respeito é o Movimento Sem Terra (MST), além de outros grupos sociais de trabalhadores do campo e das cidades. Lula também cometeu seu maior erro e hoje paga caro por isto. Não efetivou o marco regulatório (econômico), sem se intrometer em conteúdos, no que tange aos meios de comunicação.

E fica aí, a falar e a repercutir desatinos e desconhecimentos um bando de bestas-feras a insultar e a dar golpes em uma presidente que jamais cometeu crimes de responsabilidade. 

O golpe é farsa e fraude, pois é criminoso, bem como cometido por empresários, políticos e gente do Judiciário que se dizem cidadãos de bem, e, o pior, acreditam nisso. Mentem para si mesmos e fazem da hipocrisia, do cinismo e da má-fé um modo de vida. Vade retro...

Acontece que literalmente esses atores (maus) não são do bem, porque efetivaram um processo criminoso e golpista, fora da lei, porque impeachment só pode ser aprovado se a pessoa acusada e denunciada cometeu crimes, conforme a Constituição, realidade esta que não é o caso de Dilma Rousseff.

O golpe de Estado não vai passar na Câmara quanto mais ir ao Senado. Afinal, não queremos um País bárbaro, à margem da lei, cujo futuro é o retrocesso econômico e social, porque quando grupos políticos e econômicos ilegítimos ocupam os poderes da República, a paz some do mapa e a vida se transforma em um inferno de Dante, porque o inconformismo, a ira, a revolta e a injustiça passam a imperar à revelia da Lei.

Os conflitos serão imensos e Lula vai para as ruas com todo o movimento social e os partidos de esquerda, ao ponto de parar o Brasil. O PT é o único partido realmente orgânico deste País, pois está presente em quase todos os setores, inclusive os intelectuais. Nenhum partido, a não ser o PT, resistiria a uma avalanche de ataques sem precedentes na história do Brasil. Um verdadeiro linchamento imposto ao PT diuturnamente, sem trégua ou piedade.

Esses fatores demonstram que o PT é uma agremiação política das mais organizadas do mundo, mesmo a sair políticos de ponta e influentes, que, por motivos outros, pois não pretendo agora entrar no mérito, mas ainda entrarei em outro artigo, abandonaram o barco e hoje se aliam aos interesses golpistas da oposição de direita, representante nos foros de poder da casa grande e dispostos a afundar o Brasil para assumirem o poder por intermédio de um golpe covarde, descabido e injusto. Um golpe de direita, da direita e para a direita. Doa a quem doer.

E quem apoia esse processo há muito tempo contaminado pelos golpistas de poder e mando, como o juiz de província Sérgio Moro? Exatamente o povo que sempre foi beneficiado com acesso pleno ao seu desenvolvimento como cidadão. 

Essa gente alienada e mal-educada, como o senhor do prédio que me tratou com desrespeito sem ao menos ter discutido comigo, participa de passeatas de coxinhas brancos e ensandecidos pela fúria — alucinados, além de totalmente despolitizados, mas com profundo sentimento de preservação de sua classe social, a se movimentar pelos bairros chiques das cidades e capitais brasileiras. 

Coxinhas da classe média tradicional e ricos, herdeiros da Marcha da Família com Deus pela Liberdade pré-golpe 1964, que se sentiram seguros para sair dos armários, e, com efeito, exercitar o fascismo tão íntimo de seus corações e pensamentos.

Essa gente fascista (muitos por ignorância) não sabem que são praticantes da pequenez solidária. Consideram que perderam espaço na sociedade ao verem os pobres pela primeira vez a participar do processo de cidadania e a ter acesso ao Orçamento da União, o que permitiu aos do andar de baixo, por exemplo, ter poder de compra, ir ao shopping, viajar de avião e frequentar a universidade pública, dentre inúmeros benefícios efetivados pelos presidentes petistas, dentre eles os mais de 20 milhões de empregos, que foram criados entre os anos de 2003 e 2013. 

Nada é mais importante do que o emprego; nada é mais digno. E os governos de Lula e de Dilma fizeram isso com competência e determinação. Só que as pessoas esquecem, uns por conveniência e outros porque estão a se lixar com o que acontece atualmente no Brasil.

Mesmo assim, a direita dona da casa grande e ligada à plutocracia nacional e internacional jamais quis dialogar com os trabalhistas. Só esboçaram um diálogo quando os índices de Lula e Dilma passaram dos 80% e 70%, porque aí não tem jeito. Não dá para dar golpe. 

Quando aconteceu a manifestação do MPL por causa de preços de passagens, a direita oportunista começou a sair para as ruas e hoje, de maneira fascista, agride as pessoas em restaurantes, hospitais, clubes, áreas de lazer de prédios, bares e nas ruas em geral. 

Os fascistas saíram de suas tumbas e ocuparam a internet e ameaçam as pessoas que não pensam como eles até de morte. Eu já fui ameaçado de morte ao passar em frente a um bar no bairro da Urca. Ameaçado frontalmente e não pela internet, o que também acontece muito, fora os insultos.

Todos esses fatores socioeconômicos de melhoria das vidas dos pobres, dos nordestinos e nortistas, dos negros, dos gays e das mulheres empoderaram esses grupos estratificados e historicamente oprimidos, nova realidade que incomodou de mais os burgueses e os pequenos burgueses.

E quem incomodou, além do Governo Trabalhista? Aqueles que nunca tiveram poder e voz ativa, como, por exemplo, as mulheres pobres, a maioria dona de casa humilde ou empregada doméstica, catadora ou camponesa, mãe de filhos pequenos ou jovens, muitas delas sem a presença e a cooperação de seus maridos e moradoras do Brasil profundo, a parte invisível e até então sem os direitos garantidos pela Constituição de 1988, que até os dias atuais ainda não está totalmente regulamentada por causa de interesses e da influência da grande burguesia.

Mulheres que nunca tiveram dinheiro nas mãos e pela primeira vez romperam com o domínio de seus empregadores, que perceberam, mas não aceitaram, que com dinheiro na mão a mulher pobre, ou negra, ou nordestina e secularmente abandonada pelo Estado poderia escolher o que quisesse comprar e da maneira que lhe aprouver ou convém, porque agora seus filhos poderiam ir à escola sem que ela, por causa das circunstâncias, os obrigasse a trabalhar ou a pedir esmolas ainda com idade tenra, mas expostos às ruas e, com efeito, alvos de violência, drogas, bebidas, prostituição e trabalho perigoso similar à escravidão.

Todos esses aspectos mexeram de mais com a índole, os princípios e os valores arraigados nos grupos sociais dominantes e ideologicamente conservadores, sejam eles médios ou ricos. 

E deu no que deu: a luta incessante pelo golpe de estado por parte da direita, que se baseia também na criminalização dos partidos e na judicialização da política, a ter o engessamento das ações sociais e estruturais do Governo como estratégia também de grande importância por parte dos direitistas, que se encontram histéricos, apopléticos, encolerizados e desesperados por estarem há 12 anos sem controlar o poder central do País.

A direita sabe que não ganha no voto em 2018. Por isto esse processo, tanto que o juiz de primeira instância e que deveria ter sido exonerado, o tal de Sérgio Moro, anunciou que pretende dar fim à Lava Jato em dezembro. Ele já fez a parte suja do golpe de estado travestido de legalidade parlamentar e jurídica, o que é uma conversa pra boi dormir. Ninguém com o mínimo de discernimento vai cair em uma balela e fraude e farsa dessa, que é o golpe contra a Dilma e as "boas intenções" do Moro, até porque de boas intenções o inferno está cheio. Não é mesmo?

O golpe vai ser derrotado e o Governo Trabalhista vai ter de fazer as reformas estruturais. Espero que tenham aprendido que jamais se brinca com a direita e muito menos se tergiversa. 

A verdade é que se o golpe for derrotado, o PT e suas lideranças vão rearrumar o Governo Trabalhista e fazer forte mudança na economia, que sofrerá uma guinada progressista para resultar em condições de recuperação dos índices econômicos, que serão calcados em um processo que vai favorecer o consumo. Porém, ainda é pouco.

Contudo, Lula fez isto com maestria e Dilma também manteve o padrão em seu primeiro governo. Por sua vez, Lula e Dilma sempre souberam que faltam concretizar as reformas estruturais, como a Agrária, a Previdenciária, a Política, a dos Meios de Comunicação, a Tributária e a do Judiciário. O sistema judiciário como está não pode ficar. 

Existem setores politizados e ideologizados, sendo que juízes, delegados da PF e procuradores intervieram no processo político brasileiro danosamente, equivocadamente e ilegalmente, quando não criminosamente, a exemplo dos grampos ilegais e da publicação das contas bancárias e fiscais de Lula e de sua empresa, além das escutas em mictórios de presos do juiz de província e golpista de proa, Sérgio Moro.

Se transformaram em agentes do golpe de estado, antirrepublicanos, antidemocráticos e desrespeitosos, assim como de uma arbitrariedade somente vista e experimentada na ditadura civil-militar. 

Agora, volto a repetir o que disse e a ressaltar, Sérgio Moro anuncia o fim da Lava Jato, enquanto seu parceiro de golpe, Michel Temer, vaza de propósito um WhatsApp a anunciar suas primeiras medidas como presidente golpista da República. 

Até parece que o Amigo da Onça é sério. Até parece que se os golpistas concretizarem o golpe vão governar em paz com suas ilegitimidades. Quem o diga o Lula. Não vai ter golpe! Vai ter luta! É isso aí.



Postado no Brasil 247 em 14/04/2016


Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"