19 abril 2016

Sobre Bolsonaro e sua ilustre homenagem




O coronel Brilhante Ustra não foi somente o "terror da Dilma". Ex-comandante do DOI-CODI em SP fez desaparecer pelo menos 47 pessoas no seu porão. 

Torturados foram muito mais. 

Não foi só a Presidenta que teve o maxilar quebrado a socos, levou choques e foi colocada no pau de arara...

Maria Amélia Teles também contou sua história: 

Presa aos 26 anos no DOI-Codi (centro de repressão do Exército) de São Paulo, Maria Amélia Teles relembra o dia em que o coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra pegou nas mãos de seus dois filhos – Edson Teles, à época com 5 anos, e Janaina, com 4 – e os levou até a sala onde ela estava sendo torturada, nua, suja de sangue, vômito e urina, na cadeira do dragão. 


Na mesma sala estava o marido e pai das crianças, César Teles, recém-saído do estado de coma decorrente de torturas no pau-de-arara.

“Minha filha perguntava: ‘mãe, por que você ficou azul e o pai verde?” Meu marido entrou em estado de coma e quando saiu estava esverdeado. E eu estava toda roxa, cheia de hematomas e ela viu aquela cor roxa como azul. 

Meu filho até hoje lembra do momento em que eu falava ‘Edson’ e ele olhava para mim e não sabia que eu era a mãe dele. Estava desfigurada”, recorda Amelinha, como é conhecida. 

Mas os filhos de Maria Amélia não foram as únicas crianças a serem presas, fichadas e torturadas pela ditadura militar, consultem o livro “Infância Roubada – Crianças Atingidas pela Ditadura Militar no Brasil”, publicado pela Comissão da Verdade. 

O coronel Ustra foi o único militar brasileiro a ser declarado “torturador” pela Justiça. Ele foi relacionado a pelo menos 60 (SESSENTA) casos de mortes pela Comissão de Familiares de Mortos e Desaparecidos. Denunciado, inclusive, pela atriz Bete Mendes. Nunca foi condenado.


Postado no Facebbook



























Em seu voto a favor do impeachment no último domingo, Jair Bolsonaro homenageou o Coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, responsável por torturar centenas de mulheres na época da ditadura. 

O torturador chegava a introduzir insetos e roedores nas genitálias das vítimas.



Deputado Federal Bolsonaro       Amelinha Teles           Torturador Coronel Ustra




Bolsonaro no domingo dia 17 de Abril na Câmara dos Deputados



Abaixo estão algumas das várias vítimas de Carlos Alberto Brilhante Ustra, diretor do DOI-CODI. 

Foi um dos torturadores de Dilma Rousseff, e foi homenageado por Bolsonaro em seu discurso na votação do Impeachment. 

 ( imagem forte )   






Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"