13 janeiro 2017

Semeando a felicidade . . .





Se quisermos criar felicidade em nossas vidas, precisamos aprender a semear a felicidade



Adriana Helena

Oi amigos ! Certamente todos já ouviram a expressão “Colherás aquilo que semeastes”.Essa frase tão conhecida contém muitos significados e um deles é que se quisermos criar felicidade em nossas vidas, precisamos aprender a semear a felicidade. Então, como fazemos isso? É mais simples do que se imagina, pois tão somente implica a ação de fazer escolhas conscientes. Quando escolhemos ações que levam felicidade e sucesso aos outros, estamos colhendo os frutos do que plantamos. Vamos esmiuçar esse assunto mais um pouquinho? Então continue comigo:

Antes de entrarmos no cerne da questão, precisamos ter uma ideia do que é Karma ou Carma. Segundo Swami Vivekananda toda ação gera uma força energética que retorna a nós da mesma forma. O que semeamos é o que colhemos. E, quando escolhemos ações que levam felicidade e sucesso aos outros, o fruto do nosso carma é a felicidade e o sucesso, também. Assim, Carma é a eterna afirmação da liberdade humana... Nossos pensamentos, nossas palavras, nossos atos, são fios de uma rede que tecemos ao redor de nós mesmos.

Afinal, a cada momento temos acesso a uma infinidade de escolhas. Algumas delas são feitas de forma consciente, outras, não. Infelizmente, muitas de nossas escolhas, por terem sido feitas sem consciência, não nos parecem escolhas – no entanto, são. Em consequência do condicionamento, muitas vezes elas são levadas por pessoas e circunstâncias a resultados previsíveis.


Se eu lhe fizesse uma ofensa, você provavelmente escolheria se sentir ofendido. Se eu lhe fizesse um elogio, você provavelmente escolheria se sentir adulado. Mas pense bem na questão: você poderia optar por não se sentir ofendido por um insulto, nem adulado por um elogio.

A melhor forma de usar a lei do carma é se distanciar e testemunhar as escolhas que você está fazendo a cada momento. Quando fizer uma opção, pergunte a si mesmo duas coisas: “Quais são as consequências dessa escolha?” e “Será que a escolha que estou fazendo vai trazer felicidade para mim e para os que me cercam?”. Sempre há uma opção que vai criar o máximo de felicidade para você e seu entorno. Essa opção é a ação espontânea e correta, porque é a ação que alimenta a você e a todos os outros influenciados por ela.

Como fazer escolhas espontâneas e corretas? 

Prestar atenção à sensação de conforto ou desconforto em seu corpo. No momento em que fizer uma escolha, pergunte a seu corpo: “Quais são as consequências dessa escolha?” Se ela enviar uma mensagem de conforto, esta é a opção correta. Se enquanto faz essa pergunta você se sentir desconfortável fisicamente, então não é a opção adequada.

Para alguns, a mensagem do conforto ou desconforto se localiza na região do plexo solar, (localizado atrás do estômago e embaixo do diafragma), mas para a maioria é na região do coração. Concentre-se no coração e pergunte a ele o que fazer. Depois preste atenção ao modo como se sente. A reação talvez esteja no nível mais sutil do sentimento, mas está ali. Você vai saber que a resposta está correta porque se sentirá correto, sem qualquer dúvida. O coração conhece a resposta certa porque ele entra em contado com o campo da potencialidade pura de infinito poder organizador, e leva tudo em consideração. O coração é intuitivo e holístico, (holístico consiste em passar da realidade relativa do mundo concreto a realidade absoluta do mundo de luz e de integrar os dois mundos de tal modo que o programa do todo se encontra em toda a parte), sua orientação leva todos à vitória. Embora a resposta possa não parecer racional, o coração é mais preciso que qualquer outra coisa na esfera do pensamento racional.


Você pode usar a lei do carma para criar dinheiro e o fluxo de todas as coisas aprazíveis em sua direção. Mas, acima de tudo, esteja consciente das escolhas que está fazendo a cada momento. Quanto mais consciente estiver das próprias escolhas, maior a frequência com que as fará espontaneamente de forma correta tanto para si quanto para seu entorno.

Como você pode aplicar a lei do carma às escolhas que já fez?

A maioria das pessoas paga suas dívidas de carma – inconscientemente, é claro. Às vezes passamos por grande sofrimento, mas a Lei do carma estabelece que nenhuma dívida no universo fique sem quitação.

Se você quiser transformar seu carma numa experiência mais desejável, procure a semente da oportunidade dentro de cada situação adversa e ligue a seu carma ou objetivo de vida. Isso lhe permitirá converter a adversidade em benefício e transformar o carma numa nova expressão.

Comece por perguntar-se “Que mensagem o Universo está me enviando? Por exemplo, se você quebrar a perna enquanto está praticando esporte talvez a mensagem seja de que precisa reduzi o ritmo e ser mais atencioso com seu corpo. E se seu propósito na vida for ensinar aos demais, então ao perguntar “O que posso aprender com essa experiência, e como posso torná-la proveitosa para meus semelhantes?”, talvez resolva compartilhar o que aprendeu escrevendo um livro sobre a segurança na prática de esporte. Isso transforma seu carma em experiência positiva.

Você também pode transcender as sementes de seu carma ao se tornar independente dele. A forma de fazer isso e continuar a vivenciar o Eu, seu espírito, por meio da meditação silenciosa e voltar a sair dela. Isso é comparável a lavar em água corrente um tecido sujo. Cada vez que o lavar, removerá algumas manchas, e ele ficará cada vez mais limpo.

Cada ação é um episódio de carma, já que a ação gera a lembrança, que gera o desejo, que torna a gerar a ação. Quando você vai ficando consciente dessas sementes de manifestação, vai se retornando autor de escolhas conscientes, a ações geradas por você serão revolucionárias – tanto para si quanto para os circunstantes -, e o fruto do carma será felicidade, amor e sucesso.

Para vivenciar a Lei do carma:

Seja testemunha das escolhas que faz cada momento. A melhor forma de se preparar para qualquer momento do futuro é estar plenamente consciente do presente.

Sempre que fizer uma escolha, pergunte a si mesmo duas coisas: “Quais são as consequências dessas escolhas?” E, será que a que estou fazendo vai trazer felicidade para mim e para os que me cercam?”

Peça orientação a seu coração, se deixando guiar por sua mensagem de conforto ou desconforto. Se a sensação for confortável, prossiga com as escolhas. Se for desconfortável, descarte a opção.


Assim, o que importa é seguir os caminhos do coração e assim seremos e faremos os outros felizes!

"Afinal, Quem planta árvores, Colhe alimentos.
Quem planta flores, Colhe perfume.
Quem semeia trigo, Colhe pão.
Quem planta amor, Colhe amizades.
Quem semeia alegria, Colhe felicidade.
Quem planta a vida, Colhe milagres.
Quem semeia a verdade, Colhe confiança.
Quem semeia a fé, Colhe certeza.
Quem semeia o carinho, Colhe gratidão.
No entanto, há quem prefira semear tristeza e colher amargura.
Plantar discórdia e colher solidão.
Semear vento e colher tempestade.
Plantar ira e colher inimizades.
Plantar injustiça e colher abandono.
Somos semeadores conscientes,
espalhando diariamente milhões de sementes ao nosso redor.
Que possamos escolher sempre as melhores,
para que, ao recebermos a dádiva da colheita farta,
tenhamos apenas motivos para agradecer..."
(Gotas de Paz)

♫♫É preciso amor pra poder pulsar,
É preciso paz pra poder sorrir,
É preciso a chuva para florir...♫♫




Texto inspirado na obra de Deepak Chopra, médico indiano radicado nos Estados Unidos. É formado em Medicina pela Universidade de Nova Deli. É também um escritor e professor de ayurveda, espiritualidade e medicina corpo–mente.






Nenhum comentário :

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
"